A ideia inicial era gastar algumas horas e R$ 50 para fazer um rolê pelo Centro e o Bairro do Recife. Mas a capital pernambucana tem tanto passeio legal para se fazer gastando pouco ou nada, que sobrou R$ 19,10 do orçamento. Com R$ 30,90 deu para pagar passagem, visitar museus, comer pizza (com suco!), tomar café e sorvete, com uma das vistas mais bonitas do Recife. O que sobrou, você aproveita para comprar uma lembrancinha no Mercado de São José. Bora ver como é esse passeio?

Passagem – R$ 6,40
Vamos contar com o fato de você não ter o VEM e ter que tirar o dinheiro da passagem do orçamento do passeio. Tudo bem, pode descontar aí os R$ 3,20 da ida e mais o mesmo tanto pra volta. É o valor do anel A, responsável por mais de 90% da precária malha de transporte público do Recife.

Lanche – R$ 9
Chegamos na Boa Vista, coração pulsante do comércio do Recife, o ponto de partida para quem vai conhecer o Centro. Mas antes de bater perna por aí, vamos nos alimentar. Entre na Rua Sete de Setembro, pegue à direita na Rua Imperatriz. Vamos apostar em time que é vitória certa: a boa e barata pizza da Padaria Imperatriz por R$ 5. Completando o lanche com um refresco de cajá, nossa conta sai por R$ 9.

Museu de Arte Moderna Aluisio Magalhães – De graça!

(Foto: Reprodução/Facebook Mamam)

Com a fome saciada, siga em frente, pegue a Rua da Aurora e cruze a Avenida Conde da Boa Vista. Em menos de um quarteirão você estará no Mamam, museu sempre gratuito de frente ao Rio Capibaribe.

LEIA TAMBÉM:

Acervo exclusivo do Mamam traz preciosidades das artes plásticas

7 museus para visitar de graça no Recife Antigo e Centro

Extra: Se você está com tempo, vale a pena desembolsar mais R$ 10 (inteira) ou R$ 5 (se você for estudante, idoso ou professor) para conhecer o belíssimo Cinema São Luiz. Os vitrais são um espetáculo à parte. Não importa nem muito qual o filme em cartaz, mas quase sempre são bons. O cinema também recebe vários festivais, é só ficar ligado na agenda cultural do PorAqui.

Água de coco – R$ 2,50

(Foto: Carol Santos/colaboração)


Agora, pegue a ponte Duarte Coelho, siga pela Avenida Guararapes e Rua Duque de Caxias. Você vai passar pela Pracinha do Diário e ver vários prédios antigos do centro. Depois dessa andadinha, uma água de coco até que cai bem. Há várias opções entre R$ 1,50 (pequeno) e R$ 2,50 (grande) nas barracas da Avenida Nossa Senhora do Carmo. Escolhemos o coco da barraca bem em frente ao Pátio do Livramento. Gelado e grande por R$ 2,50.

Ponte Duarte Coelho (Foto: Carol Santos/colaboração)


Lembrancinha do Mercado de São José – pode escolher por até R$ 19

Visitar uma cidade e não conhecer seu principal mercado público é quase um pecado. No mínimo, uma heresia. Construído em 1875, o Mercado de São José impressiona e convida com sua estrutura de metal e teto alto. Tem de tudo: do mais refinado artesanato sertanejo ao ímã de geladeira.

Vista do Cais do Imperador – De graça!

(Foto: Carol Santos/colaboração)


Do Mercado de São José, vamos para o Bairro do Recife. O caminho mais fácil seria pela Ponte Giratória, mas é menos inseguro seguir pela ponte Maurício de Nassau, de maior movimento de pedestres. No caminho, uma foto no Cais do Imperador. O café de lá é bom, mas inviabilizaria nosso modesto orçamento. Mas não desanime: vai ter café mais adiante. E sorvete também.

Extra: Gratuito! Você atravessou sua segunda ponte do dia. Se a maré estava seca, viu as garças brancas procurando alimento no leito do rio. Se estava cheia, passou pelos pescadores lançando suas linhas nas águas do rio Capibaribe. Guarde essa poesia na lembrança ou tire uma foto de recordação.

Museu – De graça!
Se você for em uma quinta-feira, a dica é ir para o Museu do Cais do Sertão. Se for em uma terça-feira, no Paço do Frevo. Ambos são gratuitos nesses dias. Mas vamos dizer que você só tem um sábado: a Caixa Cultural Recife é gratuita todos os dias, a Torre Malakoff também. Não faltam boas opções gratuitas.

Café – R$ 3
Depois de absorver um pouco da cultura pernambucana, você pode querer refletir ou ter uma boa conversa com um café quentinho e cheiroso. Pode pegar uma cadeira na calçada do Fidélio Lago Café – também conhecido como café do italiano – e ver o vai e vem de turistas e recifenses na Avenida Marquês de Olinda. O expresso sai por R$ 3 (pequeno) e por lá só se aceita dinheiro.

Sorvete no Marco Zero – R$ 10
Agora vamos encerrar nosso passeio onde tudo começa: no Marco Zero do Recife. De um lado, o Centro de Artesanato, com peças lindas. Do outro, uma série de restaurantes com várias propostas. Olhe para frente: o mar, os arrecifes, o Parque de Esculturas de Francisco Brennand. Tudo isso com um sorvete de cajá na mão – da Frisabor, por R$ 9 a bola – ou, quem sabe, o de chocolate belga da Ciaccolato, por R$10 a bola (que é imensaaa!). Aprecie sem pressa. Essa vista (com essa brisa!) é de graça!