No próximo domingo (16), o Recife recebe um dos maiores eventos de visibilidade e cidadania LGBT do Brasil. A 17ª Parada da Diversidade de Pernambuco promete reunir milhares de pessoas em Boa Viagem para, durante todo o dia, discutirem questões relacionadas à garantia de direitos da população lésbica, gay, bissexual, travestis, transexuais e transgêneros.

LEIA TAMBÉM:

Conde da Boa Vista: a passarela dos movimentos populares no Recife

6 mantras que não saem da cabeça de quem frequenta a Conde da Boa Vista

Embora seja um evento consolidado na Zona Sul, foi no bairro da Boa Vista que o Recife viu surgir sua “parada gay”. Aliás, é no centro da cidade que se concentra a maioria de estabelecimentos, serviços e eventos destinados ao público LGBT na Região Metropolitana do Recife.

De boates a cinemas, de bares a ONG’s, a Boa Vista é o epicentro das mais diversas correntes de pensamento e expressões de sexualidade.

E é por isso que, esta semana, o canal Coração da Cidade faz um recorte em sete cores para tentar explicar essa relação de identificação e pertencimento que o bairro tem com a comunidade LGBT.

“A Boa Vista é gay, sim!”

Foto: Reprodução

A qualquer dia da semana é possível encontrar um local LGBT-friendly na Boa Vista de portas abertas. Mas é durante o final de semana que, principalmente, na Avenida Manoel Borba um mar de gente ocupa a via e as calçadas do entorno.

Só no cruzamento com a Rua das Ninfas é possível encontrar a boate Metrópole, o bar e restaurante Conchitas e o Place Bar, que são sucesso de público e garantem o agito até de manhã.

Guilherme Andrade, 28 anos, é um fiel frequentador da badalação na Boa Vista, mesmo sendo morador do Cabo de Santo Agostinho. Segundo ele, não existe outro lugar que se possa ser aceito com tanta naturalidade quanto no Centro.

Foto: Reprodução

“Meu amor, a Boa Vista é gay, sim. É um paraíso para quem é gay e não pode nem andar de mãos dadas em outro canto. Aqui tudo é voltado para o público gay, temos até um shopping gay: o Shopping Boa Bicha”, brinca.

A Boa Vista viu, com o passar dos anos, alguns picos encerrarem suas atividades e outros surgirem. A exemplo do Pit Hausen, do Pirandello, da Fun Fashion e da boate Rouge, que ficaram apenas nas lembranças dos mais saudosos.

Foto: Reprodução/Place Bar

Quem acompanhou boa parte destas transformações foi o morador Vicente Barbosa. Vivendo na Boa Vista há quase 40 anos ele não esconde o carinho pelo local. “Para mim é o melhor bairro de Recife e vejo o quanto evoluiu no tempo”, revela.

Se a Boa Vista sabe acolher bem a população LGBT isso se deve a sua vocação cosmopolita. De acordo com a antropóloga social Deyse Brandão os centros das cidades geralmente absorvem o maior número de serviços e, consequentemente, de pessoas.

“As pessoas tendem a criar vínculos com os locais que frequentam e há uma troca de características. Isso acaba por formar a identidade do bairro, que passa a receber elementos do comportamento de cada um”, explica ela.

Foto: Reprodução

Tem “fechação”. Saúde e cidadania também

Por ser a Boa Vista a região de maior concentração de atrativos LGBT do Recife e Região Metropolitana, entidades de saúde e cidadania utilizam deste fato de forma estratégica para desenvolverem suas ações.

Foto: Instituto Boa Vista

O Instituto Boa Vista, localizado na Rua das Ninfas nº 84, por exemplo, é uma instituição integrante da rede de cuidados espalhada pela Boa Vista. O IBV é uma ONG de Direitos Humanos que desenvolve projetos voltados ao bem-estar social de idosos e de cidadania LGBT.

Já a Clínica do Homem, da ONG Aids Healthcare Foundation (AHF), na Rua Osvaldo Cruz nº 342, é referência no Recife para tratamento de Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Foto: AHF Brasil

Ainda na Boa Vista, o Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+), situado na Avenida Manoel Borba nº 545, fundado em 2000, realiza um trabalho de educação em saúde, encorajando o ativismo com base nos direitos humanos e cidadania das pessoas soropositivas.

Quando o assunto é população LGBT e combate ao HIV, uma das maiores referências no Brasil é a Gestos: Soropositividade, Comunicação e Gênero, organização não-governamental que, há 25 anos, promove a garantia de direitos das pessoas vivendo com HIV ou AIDS.

Foto: Gestos/Divulgação

De acordo com o Coordenador de Projetos da Gestos, Jair Brandão, as pessoas LGBT, principalmente homens que fazem sexo com homens (HSH) e profissionais do sexo, ainda são as principais vítimas do vírus HIV e outras infecções, por isso o objetivo é atender e comunicar-se com essa população.

“Os jovens que não conviveram com a epidemia e o horror das mortes por AIDS nos anos 80 e 90 acabam não dando a importância devida para a prevenção. Estamos vivendo um período de banalização da doença”, diz Jair.

Foto: Gestos/Divulgação

Mesmo assim, em Pernambuco, a mortalidade por AIDS é de 6,2 por 100 mil habitantes, enquanto a média nacional é de 5,7, segundo dados do Boletim Epidemiológico de 2017.

O caminho encontrado pela Gestos para conseguir atingir esse público e despertar a consciência sobre a importância do combate e prevenção do HIV foi através de uma linguagem que o aproxime.

“Possuímos grupos de trabalhos onde formamos agentes multiplicadores de informação. Assim, o gay vai conversar com outros gays, as lésbicas com lésbicas e assim por diante, de forma que se crie essa identificação de discurso”, completa ele.

Foto: Gestos/Divulgação

Dessa forma, a Gestos pretende fortalecer os direitos humanos, socioeconômico e culturais, contribuindo com a superação do HIV e da AIDS para que sociedades democráticas, equitativas e de paz sejam construídas. Além de realizar campanhas de conscientização e distribuição de preservativos em eventos.

A Gestos funciona na Rua dos Médicis, nº 68, na Boa Vista.

A Boa Vista e o surgimento da Parada da Diversidade

A Boa Vista do circuito LGBT é a mesma que gerou o movimento que se tornaria o maior em representatividade do Nordeste atualmente.

Foto: Fórum LGBT de Pernambuco

Seria uma típica sexta-feira naquele 28 de junho de 2002 para os frequentadores do centro da cidade se não fosse uma diferente movimentação desfilando pela Conde da Boa Vista.

Foi da necessidade de provocar a discussão sobre os direitos e dar visibilidade à comunidade LGBT que, concentrados em frente ao restaurante Mustang, o pequeno grupo caminhou, sob os olhos desconfiados da população, com dois trios-elétricos pela principal avenida do Centro.

Foto: Fórum LGBT de Pernambuco

Até sua 5ª edição, em 2006, a Parada da Diversidade aconteceu no Centro. A cada ano, o número de participantes aumentava e, após a reforma da Avenida Conde da Boa Vista, o evento teve que ser deslocado.

“Com a reforma da via, a prefeitura propôs transferir o desfile para a Avenida Sul, mas não fazia sentido realizar uma manifestação longe da sociedade. Foi aí que brigamos para ser na Avenida Boa Viagem, tendo a visibilidade que é necessária e com a inclusão de todos”, diz Thiago Rocha, Coordenador de Projeto do Instituto PAPAI e membro do Fórum LGBT de Pernambuco em conversa com o canal Coração da Cidade.

Foto: Fórum LGBT de Pernambuco

A escolha da Boa Vista para ser a origem do movimento da diversidade não se deu de forma aleatória. Além da quantidade de pessoas que o local reúne, a vocação acolhedora do bairro para a diversidade fez toda a diferença.

“A Boa Vista serve de escudo para a população LGBT, uma vez que essas pessoas, até hoje, não se sentem seguras em muitos lugares fora do meio”, completa Thiago.

Foto: Fórum LGBT de Pernambuco

Às vésperas das Eleições, a Parada da Diversidade de Pernambuco 2018, traz para a avenida o tema: #Qual a sua Plataforma? Defenda a democracia e os direitos LGBT!. O debate acerca das candidaturas que defendam os direitos da população LGBT e os direitos humanos em geral será promovido durante o evento.

Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagens

A 17ª Parada da Diversidade de Pernambuco 2018, realizada pelo Fórum LGBT de Pernambuco, com o apoio da Prefeitura do Recife e Governo de Pernambuco, acontece próximo domingo (16), a partir das 9h, na Avenida Boa Viagem.

Por Manuel Borges

Jornalista matuto que trocou o gosto da cana pelo cheiro do mangue. Adora passear por locais, histórias, cultura, picos/festas/bares, personalidades e humor sempre tendo o Centro, o coração da Cidade do Recife, como tema. Instagram: @manecoborges.

 

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.