Quando passava pela rua Álvares Cabral, no Bairro do Recife, entre as 10h e 11h da manhã, não entendia porquê de vez em quando subia um cheiro maravilhoso de comida no ar. Olhava para os lados e me perguntava de onde saía um cheiro tão bom, não sabia que um restaurante, o Brasiliano, estava escondido naqueles prédios antigos.

Descobri esse paraíso por indicação. Disseram para adentrar o prédio e subir até encontrar a entrada, mas fiquei realmente surpresa com o que vi: um hall vintage, aconchegante, com salão amplo e climatizado.

(Foto: Rayana Eos/DCVM)

Também encontrei o melhor para pessoas indecisas como eu: uma mesa de 15 metros de comprimento com diversas opções de saladas, molhos, acompanhamentos, carne, peixe, frango e porco. Confesso que sou daquelas que, quando vai num self service, faz um carnaval no prato. Coloco tudo que dá vontade de comer (#quemnunca). E, por isso, o valor do meu prato ficou entre R$ 22 e R$ 26 todas as vezes que comi por lá. O quilo sai por R$ 48.

(Foto: Rayana Eos/DCVM)

Quando descobri que cada dia da semana é focado em uma especialidade, assumi a missão na hora: conhecer o melhor de cada dia e relatar PorAqui. Confere:

Segunda: Cozido Pernambucano

Sabe aquele feijão de vó, bem “adubado”, caldo grosso, cheio de verdura, linguiça, que dá água na boca só de mexer na concha? O Brasiliano tem! O cozido estava com uma cara ótima, mas como não sou fã de cozido, caprichei nas saladas, que estavam frescas, bonitas e coloridas.

Legumes Grelhados (Foto: Rayana Eos/DCVM)

A salada de nozes com banana caramelada regada ao molho (caseiro) de iogurte com manjericão estava divina! O destaque especial deste dia da semana ficou para a Caponata, que é um dos carros-chefes da casa e é uma delícia.

Salada de Banana Caramelada (Foto: Rayana Eos/DCVM)

Terça: Peixe e frutos do mar

No segundo dia me apresentaram aquela que me acompanhou a semana inteira: a farofa de banana caramelada (#farofapravida).

Farofa de Banana Caramelada (Foto: Rayana Eos/DCVM)

Nesse dia eu realmente não acreditei que estava num self-service: os peixes frescos, macios e hidratados; o peixe empanado sequinho, crocante, macio e suculento por dentro; um tal de filé de surubim ao creme de espinafre com um toque de bacon que fazia todo sentido.

Filé de Surubim (Foto: Rayana Eos/DCVM)

Só pra atrapalhar, inventei de colocar no prato um pouquinho de amendoim coreano que não tinha nada a ver com a história e tinha um gosto muito forte, mesmo pra mim que amo amendoim.

Quarta: Pratos com charque e pizzas

Não achei que a pizza é um forte deles. O destaque desse dia vai para a Charque à Cubana, que é o casamento perfeito entre os opostos. A banana pega o sabor da charque e em troca devolve a maciez que o prato precisa. Divino!

Charque à Cubana (Foto: Rayana Eos/DCVM)

Também provei o famoso lombo da casa, um prato muito procurado pelos clientes. Quem já comeu lombo em self service sabe que corre o risco de comer uma carne seca e sem gosto. Mas, no Brasiliano, pode confiar: a carne é suculenta e saborosa em qualquer dia que você for!

Lombo Bovino (Foto: Rayana Eos/DCVM)

Nesse dia também tinha um quibinho crocante por fora, macio e molhadinho por dentro, que me fez mudar o conceito que tinha acerca de quibes.

(Foto: Rayana Eos/DCVM)

Quinta: Culinária italiana

A quinta-feira veio com massas artesanais e diferentes recheios. Gostei muito do canelone de presunto e queijo. O ponto da massa estava ótimo, o molho cremoso, mas o recheio é ok. Então, meu preferido do dia foi o spaghetti com almôndegas. O molho de tomate que eles usam é muito bom e é difícil encontrar almôndegas gostosas em restaurantes do gênero.

(Foto: Rayana Eos/DCVM)

Agora, o que realmente fez palpitar meu coração foi o Calabrês Artesanal. Parecido com uma focaccia por causa da aparência e fofura, ele estava macio e molhadinho. Tão gostoso que não precisa de recheio.

(Foto: Rayana Eos/DCVM)

Como adoro comer com os olhos, amei a Trouxinha de Frango cremosa que fotografei e está em destaque no início do texto. ?

Sexta: Feijoada, carne de sol e pizza

Que tortura até aqui, hein? Na sexta eu quero destacar 4 pratos simplesmente incríveis. A carne de sol de filé suíno, o pastel de carne, o bolinho de feijoada e a berinjela Veronese.

Nunca tinha comido a carne de sol suína, mas é uma versão mais macia e branca – e com um sabor semelhante à carne de sol que conhecemos. Já o pastelzinho de carne ganhou o título de melhor que eu já comi na vida. ?

Pastel de Carne e Bolinho de Feijoada (Foto: Rayana Eos/DCVM)

O bolinho de feijoada merece a menção porque pegar as carnes da feijoada, triturar e fazer um bolinho frito é uma ideia de gênio. E, por fim, a berinjela Veronese. Achei que não era possível gostar de berinjela e eles me provaram o contrário. Além de ser lindo para comer com os olhos. 

(Foto: Rayana Eos/DCVM)

É isso! O Brasiliano é uma ótima opção para quem vai aproveitar a programação do Rec’n’Play no Bairro do Recife. O evento acontece entre os dias 30 de novembro e 3 de dezembro, e a programação completa pode ser conferida na página do Rec’n’Play no PorAqui.

?? Corra para: os lombos (bovino e suíno) e o pastel de carne pela certeza da ótima escolha.

?? Corra de: amendoim coreano. Gosto de amendoim, mas não gostei do sabor.

Restaurante Brasiliano
Rua Álvares Cabral, 155, 1º andar, Bairro do Recife, Recife – PE
Horário: Segunda a sexta, das 11h às 14h30 | Sábado e domingo é fechado
Telefone: (81) 3224-2020

Por Rayana Eos do De Colher Vem Mais

Quando três amigos apaixonados por comer (e cozinhar) se reúnem, a conversa não pode ser muito diferente de restaurantes, jantares, pratos e receitas. Não falamos de temperos ou destrinchamos a alta gastronomia, mas fazemos uma verificação empírica de como nossos restaurantes, bares e lanchonetes andam caprichando, para que você saiba os melhores pratos e as melhores casas. E lembre: de colher vem mais!

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.