Há exatos 201 anos, em 6 de março de 1817, era anunciado, na província de Pernambuco, o rompimento com o regime monárquico de Dom João VI. Com o apoio da Paraíba e Rio Grande do Norte, uma república foi instaurada e
um governo provisório, estabelecido.

A Revolução Pernambucana, um dos acontecimentos mais marcantes do período Brasil-Colônia, aconteceu em meio a diversos fatores socioeconômicos. Aumento de impostos para financiar a corte portuguesa no Rio de Janeiro, falta de investimentos, ideais iluministas que tomavam conta dos intelectuais da época e a queda na exportação do açúcar, somando-se à seca e à fome que atingiam a região.

Ateliê discreto esconde riquezas barrocas no bairro da Boa Vista

E não é conversa de pernambucano megalomaníaco, não. Essa é sim, segundo historiadores, a única insurreição anticolonial que conseguiu tomar o poder local em toda a história da monarquia portuguesa. E embora a república pernambucana tenha durado apenas 75 dias, suas marcas ficaram gravadas até hoje em nosso cotidiano.

A bandeira de Pernambuco, por exemplo, foi criada durante a república de 1817. Sem falar nas avenidas, ruas, prédios e tantos outros lugares espalhados por todo o Brasil que foram batizados com nomes dos patriotas.

Neste clima de feriado e orgulho, o canal Coração da Cidade separou 5 vias do Centro do Recife que homenageiam esses revolucionários.

Banca Roots: referência em tabacaria e fomento cultural no Centro do Recife

Avenida Cruz Cabugá

Principal elo entre o Centro do Recife, o bairro de Santo Amaro e o município de Olinda, a Avenida Cruz Cabugá é um dos mais movimentados corredores de ônibus da cidade.  Já Antônio Gonçalves da Cruz, o Cruz Cabugá, foi um
dos revolucionários de 1817 e representou a nova república nos Estados Unidos da América, quando viajou em busca de apoio político e militar.

Rua Gervásio Pires

A via é uma das artérias que pulsam diariamente no coração da cidade, com destaque para o número de lojas e prestadores de serviço. Coincidência ou não, o comerciante Gervário Pires Ferreira foi um homem à frente do seu
tempo, sendo o primeiro brasileiro a negociar diretamente com as Índias.

Durante a Revolução de 1817, passando dos seus 50 anos, Gervásio era o encarregado de tomar conta dos bens e valores da Província.

Hotel Central visto de dentro – e o Recife visto de cima do Hotel Central

Rua Leão Coroado

O capitão José de Barros Lima, conhecido como Leão Coroado, foi quem deu o start na Revolução de 1817 após enfiar uma espada no brigadeiro português Manoel Barbosa, que lhe deu voz de prisão devido aos rumores da revolta.

A rua que presta homenagem a Leão Coroado fica por trás do Mercado da Boa Vista. Nela encontramos residências e antigos sobrados. Além do logradouro, Leão Coroado empresta seu nome a uma das cortes de maracatu mais antigas
do Brasil.

A espada icônica utilizada por ele no episódio pode ser contemplada no Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico Pernambucano (IHGP), na Rua do Hospício 130, na Boa Vista, em horário de visitação.

Rua Frei Caneca

A Rua Frei Caneca é uma daquelas impossíveis de evitar quando se caminha pelo centro de compras do Recife. Localizada em Santo Antônio, ela cruza a Rua da Palma indo até a Rua da Concórdia.

Frei Caneca ainda era um coadjuvante na Revolução de 1817. Pesquisadores apontam sua participação apenas nos últimos momentos da república, quando teria acompanhando o exército para lutar contra as forças da coroa portuguesa.

No entanto, sua presença na Revolução Pernambucana serviu de base para que, anos mais tarde, Frei Caneca se posicionasse contra D. Pedro I e participasse ativamente da Confederação do Equador, resultando no seu
fuzilamento em praça pública após prisão e condenação.

Por onde anda Tarcísio Pereira, da icônica Livro 7?

Rua Padre João Ribeiro

Por ter muitos religiosos envolvidos em todas as etapas da Revolução de 1817, ela também ficou conhecida como a Revolução dos Padres. Um deles foi o João Ribeiro Pessoa de Melo Montenegro, o Padre João Ribeiro. Nascido em
Tracunhaém, na Mata Norte, ele viveu muito tempo na França, onde abraçou os ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Com a proclamação da independência de Pernambuco, Padre João Ribeiro foi um dos 5 membros do governo provisório instaurado naquele momento. É atribuída a ele a criação da bandeira do Estado, que na época possuía 3
estrelas, representando, além de Pernambuco, as províncias da Paraíba e Rio Grande do Norte.

Discreta como seu homenageado, lembrando uma viela de interior, a Rua Padre João Ribeiro fica até meio escondida, se levarmos em consideração as demais em sua volta. Ela está localizada no bairro da Boa Vista, nas
imediações da Praça Maciel Pinheiro. Seu acesso se dá pela Travessa do Veras ou Rua Velha.

Com a colaboração de:
David Borges (Historiador e Pesquisador)
Rodolfo César (Design)
Imagens: Google e Reprodução

Por Manuel Borges

Jornalista matuto que trocou o gosto da cana pelo cheiro do mangue. Adora passear por locais, histórias, cultura, picos/festas/bares, personalidades e humor sempre tendo o Centro, o coração da Cidade do Recife, como tema. Instagram: @manecoborges

 

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.