Um respiro para a arte e a cultura do Recife! Após três anos, o Teatro Valdemar de Oliveira, no bairro da Boa Vista, reabre suas portas ao público neste sábado (7). A apresentação da peça Menina Bruno, na programação do festival Transborda de Cultura Sem Gênero, às 20h, marca a retomada.

Cultura trans: Festival Transborda começa no Recife nesta segunda (2)

Desde 2015, o Valdemar de Oliveira estava interditado pelo Corpo de Bombeiros, devido à identificação de problemas no sistema de segurança. Questões relacionadas à acessibilidade também foram notificadas pelo Ministério Público de Pernambuco, à época.

Sede do Teatro de Amadores de Pernambuco (TAP), o Valdemar de Oliveira foi fundado em maio de 1971. O nome foi em homenagem a um de seus criadores, falecido em 1977. Até então, se chamava Nosso Teatro.

Com essa interdição mais recente, houve uma mobilização para readequar o prédio às normas de segurança e acessibilidade exigidas. Foi criada, então, a campanha “Dê a Mão ao TAP”, encabeçada por parentes de Valdemar de Oliveira.

“Foi e está sendo uma luta muito grande. Foi muito importante a união da família em torno dessa luta”, conta Thiana Santos, neta de Valdemar e, junto aos primos Yeda, Pedro e Patrícia, é um dos nomes à frente da gestão do teatro.

(Foto: Diego Nigro/JC Imagem)

Apresentações de espetáculos (devidamente autorizadas pelos Bombeiros) e a venda de produtos relacionados ao TAP foram realizadas para arrecadar fundos com o intuito de financiar a reforma do teatro. A parceria com empresas privadas e a colaboração de pessoas físicas também foram responsáveis para viabilizar as obras.

“Quando a gente se deparou com a possibilidade de o teatro ser fechado e se acabar um sonho realizado a partir de tantas mãos, resolvemos entrar nessa luta, pra fazer com que o Valdemar volte à cena, de forma plena, de onde ele nunca deveria ter saído”, fala Thiana.

Artistas se acorrentam ao Teatro do Parque como protesto

De cara nova, o Valdemar ganhou reformas nos banheiros, climatização, nova iluminação, readequação de filas (para facilitar saídas laterais, da frente e de trás), rampas nos corredores laterais, entre outras intervenções.

Diante das mudanças, o Corpo de Bombeiros concedeu o alvará de funcionamento do teatro, que já pode funcionar. Alguns reparos ainda precisam ser feitos. Mas, para isso, é preciso que a população e a classe artística cheguem junto.

Artistas que queiram agendar pautas no teatro e pessoas que queiram colaborar com a reforma do prédio, podem entrar em contato no telefone (081) 3222-1284 o enviar email para teatrovaldemardeoliveira.tap@gmail.com

Reabertura

O Valdemar de Oliveira reabre suas portas neste sábado (7), às 20h, com a peça Menina Bruno, do Grupo Itinerante (RJ), que integra a programação do festival Transborda de Cultura Sem Gênero. Outra apresentação está marcada também para o dia 14.

Menina Bruno narra a saga de uma mulher trans nascida em Arcoverde, que enfrenta o abandono e as adversidades de sua vida até passar por sua transição. A peça é de autoria de Rhommel Bezerra, também à frente da direção.

(Foto: Rhommel Bezerra)

A trama passa pelos principais episódios da vida da protagonista, interpretada pela atriz Aurora Jamelo, como a infância, os tempos de colégio, o primeiro contato com o sexo, a não aceitação de sua identidade, os conflitos com a comunidade em que ela morava, a expulsão de casa pelos próprios pais, a prostituição e a fuga de sua terra natal.

Reabertura do Teatro Valdemar de Oliveira, com a peça Menina Bruno
Sábado (7), às 20h
Teatro Valdemar de Oliveira | Praça Oswaldo Cruz, 412 – Boa Vista
R$ 40 e R$ 20 (à venda no sympla) / Trans FREE
Duração: 60 min
Classificação: 14 anos