Pandivá e Giromin são nomes que vão ficar na cabeça dos foliões na abertura do Carnaval do Recife esta sexta (9), no Marco Zero.

Tratam-se de artefatos musicais que fazem parte do espetáculo “Frevo para o Mundo”, que será apresentado nesse show de abertura pelo Quinteto Violado junto com os músicos do grupo Batebit e da dupla Pachka. Os dois instrumentos musicais tecnológicos foram criados no Laboratório de Objetos Urbanos Conectados (L.O.U.Co), do Porto Digital.

O duo Pachka é formado pelos músicos e criadores de espetáculos multimídia Miguel Mendes e Tomás Brandão; o Batebit, por sua vez, tem como foco a experimentação para criação de novos instrumentos e interações musicais e é comandado pelos inventores Filipe Calegario e João Tragtenberg.

O convite para participar do espetáculo veio do próprio Quinteto Violado, um dos idealizadores e os anfitriões da abertura, “um dos músicos do Quinteto, Marcelo Melo, viu e gostou de uma de nossas apresentações no Paço do Frevo, onde relacionamos instrumentos tecnológicos que interagiam com a plateia, com uso de sensores para transformar o movimento em som. Depois do convite, convertemos os instrumentos que usamos nessa apresentação para  participarmos da abertura”, conta Miguel Mendes.

Os performers experimentarão novas formas de dialogar com o frevo utilizando três instrumentos: “o Giromin é um instrumento digital  que une a música à dança, a gente está acostumado a dançar de acordo com a música, mas com ele é o inverso, a dança que vai gerar música. No espetáculo, vamos contar com a dançarina Inaê Silva como dançarina/instrumentista”, conta João Tragtenberg, do Batebit.

Sobre os outros dois instrumentos, a dupla de João, Filipe Calegario explica: “o Pandivá, é um mix de pandeiro com vara que ganhou uma nova versão para o espetáculo, na qual os sons são trechos retirados de vídeos carnavalescos antigos pertencentes ao acervo da Fundação Joaquim Nabuco; e o outro, que  chamamos provisoriamente de ‘Tandera’ é  na verdade uma surpresa, mas já adianto que ele vai permitir ao público tocar, da plateia, conosco. Quanto mais animação, melhor o som!”. explica.

O espetáculo “Frevo para o Mundo” busca contar o passado, o presente e o futuro do ritmo que comemora 111 anos de existência exatamente no dia da abertura do carnaval, já que o dia 09/02 e o Dia Nacional do Frevo.

“Fazer parte da abertura, nos preparar para tocar esses instrumentos está sendo uma relação muito especial de descobertas. Nesse sentido, é muito importante contar com o apoio do Porto digital. As equipes de fabricação digital e economia criativa sempre nos acolhem e dão esse espaço pra gente ir criando e fazendo esse trabalho, que sem apoio, sem sustentação de algumas instituições ou ambientes que fomentem a criação artística criativa, não conseguiria manter-se sozinho”, relata Miguel.

Abertura do Carnaval do Recife com o espetáculo Frevo para o Mundo 
Marco Zero, Bairro do Recife, Recife – PE
Dia 09 de fevereiro
A partir das 19h30
Programação completa do carnaval: http://site.carnavalrecife.com