Venceu o respeito às tradições, ao bom senso e aos genuínos brincantes. Ao contrário do que, recentemente, colocou a Prefeitura do Recife, foi decidido, numa reunião entre carnavalescos e Secretaria de Cultura, que o desfile de agremiações do Grupo Especial, em 2018, será realizado no Domingo, Segunda e Terça de Carnaval, na Av. Dantas Barreto, centro da cidade.

A proposta anterior da PCR era de transferir o desfile para a Av. Alfredo Lisboa, no Bairro do Recife, durante a semana pré-carnavalesca. A atitude, além de pegar os representantes das agremiações de surpresa, tirava por completo o protagonismo daqueles que, ao longo de décadas, são os verdadeiros alicerces da cultura carnavalesca recifense e pernambucana.

Por decisão de maioria dos carnavalescos, os desfiles serão mantidos durante os dias oficiais de Carnaval, no centro da cidade, a partir das 14h. Já os grupos 1, 2 e de Acesso desfilarão na Avenida do Forte.

“Foi uma vitória pra gente!”, diz Lindivaldo Leite Júnior, do Bloco Banhistas do Pina. “Na verdade, o que era uma imposição da Prefeitura, acabou se tornando uma consulta a nós, carnavalescos, por conta da repercussão que deu nos jornais e na opinião pública”, considera.

Lindivaldo Leite Júnior, do Banhistas do Pina, considera que repercussão na opinião pública fez a PCR recuar (Foto: Reprodução/Facebook)

E critica: “A Cultura, infelizmente, não tem sido prioridade deste governo. Por isso, a participação da opinião pública é importante nesse debate, para manutenção das tradições e dos bens culturais. E todos nós sabemos que o Carnaval tem um peso”, ressalta.

Desfile de agremiações – Tradição iniciada nos idos de 1930, que já percorreu vários bairros da cidade, o concurso reúne hoje 257 agremiações de onze modalidades: escola de samba, blocos de pau e corda, tribos de índios, troças carnavalescas, maracatus de baque solto, maracatus de baque virado, clubes de frevo, clubes de boneco, caboclinhos, bois e ursos.