Devido a questões técnicas, a curta temporada da Trilogia Vermelha, que aconteceria neste fim de semana, no Teatro Arraial Ariano Suassuna, no bairro das Boa Vista, teve de ser adiada.

As apresentações foram transferidas para a próxima semana: na sexta (11), h(EU)stória – O tempo em transe; e no sábado (12), Pa(IDEIA) – Pedagogia da libertação. Ambas, no horário das 20h. Os ingressos continuam no valor de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

A Trilogia Vermelha é um projeto de pesquisa desenvolvido pelo Coletivo Grão Comum e a Gota Serena Produções. São três espetáculos que abordam a vida e a trajetória de nordestinos que marcaram a história política, cultural e social do Brasil: Glauber Rocha, Paulo Freire e Dom Hélder Câmara.

Cena de “h(EU)stória – Terra em transe” (Foto: Filipe Mendes)

Os espetáculos contam com pesquisa, roteiro, direção e encenação de Júnior Aguiar, que, em cada um dos espetáculos, divide o palco com os atores Márcio Fecher e Daniel Barros.

O primeiro espetáculo da Trilogia Vermelha é h(EU)stória – O tempo em transe, que traz ao palco a personalidade cáustica e contestadora do cineasta baiano Glauber Rocha, assim como sua relação visceral com o fazer cinematográfico, que desaguou no Cinema Novo, nos anos 1960.

Glauber Rocha (Foto: Paula Gaitan)

Em cena, Júnior Aguiar e Márcio Fecher encarnam Glauber e enveredam pelos seus conflitos internos, assim como traduzem seus pensamentos através de cartas escritas pelo baiano a personalidades como Jomard Muniz de Britto e Miguel Arraes.

Patrono da Educação Brasileira, o pernambucano Paulo Freire é o personagem central de Pa(IDEIA) – Pedagogia da libertação, segundo espetáculo da Trilogia Vermelha. Desta vez, Júnior Aguiar tem a companhia de Daniel Barros, em cena.

Paulo Freire (Foto: Facebook Trilogia Vermelha)

A peça abre com o interrogatório a que Freire foi submetido quando da eclosão da Ditadura Militar no Brasil. Seu projeto e ideais educacionais para o País, suas andanças pelo mundo e seu retorno ao Brasil também são retratados no espetáculo.

O próximo espetáculo da Trilogia Vermelha, Pro(FÉ)ta – Bispo do povo, traz à cena o cearense Dom Hélder Câmara e está em fase de montagem.

Premiações

Os espetáculos da Trilogia Vermelha colecionam participações e premiações em edições do festival Janeiro de Grandes Espetáculos.

Em 2014, h(EU)stória – O tempo em transe levou o Prêmio APACEPE nas categorias “Melhor Espetáculo de Teatro Adulto” e “Melhor Trilha Sonora” (Juliano Muta e Leo Vila Nova).

Já em 2017, Pa(IDEIA) – Pedagogia da libertação também conquistou o APACEPE, desta vez, nas categorias “Melhor Iluminação” (Júnior Aguiar), “Melhor Ator Coadjuvante” (Daniel Barros) e “Melhor Trilha Sonora” (Leo Vila Nova, Juliano Muta e Tiago West).

SERVIÇO
Trilogia Vermelha em cartaz no Teatro Arraial Ariano Suassuna
h(EU)stória – O tempo em transe | Sexta (4), às 20h
Pa(IDEIA) – Pedagogia da libertação | Sabado (5), às 20h
Teatro Arraial Ariano Suassuna | Rua da Aurora, 457 – Boa Vista
Ingressos: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia)

Atualizado em 4/8/2017, às 15h40