Adolescentes roqueiros de várias gerações tiveram um programa em comum pós-aula: ir para a loja Vinil Alternativo, na Rua Sete de Setembro. Lá, além dos jovens, fãs de rock de todas as idades se encontram para olhar os discos, dar uma espiada nas camisetas e conversar sobre música.

Referência para quem gosta de vinil, a loja tem mais de 3 mil álbuns (CDs e LPs) à venda, fora o estoque na casa de José Miranda, o fundador da loja, que trabalha no local ao lado da esposa, o filho Elvis, que está hoje à frente dos negócios, e um funcionário.

Leia também:

Taberna do Vinil: verdadeiro reduto dos apaixonados por LPs

Por onde anda Tarcísio Pereira, da icônica Livro 7?

“O nosso forte é MPB, pop, rock, punk e metal. Quando aparece algum disco de sertanejo, eu coloco à venda
por R$ 1”, diz Miranda, que é fã de blues.

(foto: Maria Carolina Santos)

Recentemente a loja foi cenário da série de televisão Lama dos Dias, do Canal Brasil, que conta a história do manguebeat. Na gravação na Vinil, o músico Fred 04 faz o papel de Miranda e a cantora e atriz Louise França, filha de Chico Science, também participa da cena, como uma cliente.

“Na época que começou o movimento, todos os músicos do manguebeat apareciam por aqui. Inclusive o Chico”, lembra Miranda.

Aperta o play:

Músicas de Sexta para ouvir pré (ou no) inferninho

Sobrevivente das várias crises econômicas do País e da crise da indústria dos discos, a Vinil diversificou sua atuação ao longo dos anos. Hoje vende, além das camisetas e dos piercings, skates e acessórios para skatistas. “O nosso atendimento é o diferencial que nos mantém todo esse tempo no mercado”, acredita Miranda, que abriu a loja em junho de 1990.

Músicos pernambucanos – e de fora – continuam frequentando a Vinil, deixando seus trabalhos
à venda ou escolhendo o que vão levar para casa.

“Além do pessoal do manguebeat, uma infinidade de artistas já passaram por aqui. Lenine, Ed Motta, Robertinho do Recife. O mais extravagante foi Falcão, do Ceará. Ele realmente encarna o personagem o tempo todo. Ficou brincando com os clientes, foi uma algazarra. Presenteei ele com quatro anéis bem extravagantes, ele gostou muito!”, rememora Miranda.

Na loja, o vinil mais caro é Rosa de Sangue (R$ 220), clássico de Lula Côrtes  em edição norte-americana. “O da primeira tiragem custa mais de R$ 10 mil”, conta o dono. Mas não se assuste com esse preço: muito além dos sertanejos por R$ 1, a loja é repleta de bons negócios para os fãs da música.

Coletâneas e artistas populares saem também por R$ 1 – há uma seção toda dedicada a esse preço. Tem Gal Costa por R$ 8, Pink Floyd por R$ 66, Eric Clapton por R$ 30. “Temos para todos os gostos. E todos os preços”, resume Miranda.

Loja Vinil Alternativo
Rua Sete de Setembro, 105, loja 105 – Boa Vista, Recife/PE
A loja fica no térreo do Edf. Mandacaru, na entrada à esquerda
Como chegar:

A loja abre de segunda a sexta, das 10h às 18h30, e nos sábados, das 9h30 às 15h
Instagram: vinilalternativo
Facebook: vinilalternativo
Telefone: 81 3222-2385