Colaboração dos alunos da Escola Brigadeiro Eduardo Gomes

Estudantes da Escola Brigadeiro Eduardo Gomes (EBEG), na Av. Barão de Souza Leão, denunciam a situação de um muro da instituição estadual de ensino que caiu há mais de um ano, na parte de trás do colégio, juntamente com uma árvore, e deixou o local vulnerável, de fácil acesso para quem passa pela rua. Muitos consideram o endereço parte de Boa Viagem e não um raio de Setúbal. Mas a instituição é frequentada por muita gente do bairro.

Os discentes contam que, por conta da situação, o espaço ficou ocioso, com o mato tomando conta da localidade. O acesso terminou sendo fechado aos estudantes por falta de segurança.

Além disso, há um outro muro que, segundo o grupo de colaboradores, corre risco de cair. A escola, de acordo com o relato, já recebeu engenheiros algumas vezes, mas nada foi feito. Este muro em questão divide a escola de m centro esportivo. As pessoas estão com medo que a estrutura também desabe.

O PorAqui procurou a Secretaria de Educação de Pernambuco para saber se há previsão de reparo dos muros e de ocupação do espaço ocioso nos fundos da escola com algum projeto que possa dar uso à área. A pasta informou que o problema, intensificado com as fortes chuvas que caíram há duas semanas, está sendo solucionado e uma equipe irá ao local na próxima semana iniciar os reparos necessários.

Confira a resposta do governo do Estado na íntegra:

A Secretaria de Educação do Estado (SEE) informa que o problema está sendo solucionado. O problema está na estrutura dos muros internos, que delimitam as escolas dentro do Complexo Santos Dumont, e que foi intensificado com as fortes chuvas ocorridas há duas semanas.

Na próxima semana, a equipe da engenharia da SEE estará na escola para iniciar o processo de reparo desses muros. A Secretaria acrescenta que a capinação já está sendo realizada, e o objetivo é fazer uma horta no local.

A SEE esclarece que as escolas da Rede Estadual passaram por um serviço de capinação para o início deste ano letivo. Em alguns casos específicos, esse serviço tem que ser repetido por conta do crescimento acelerado do mato. Mas um novo serviço de capinação está sendo programado para as escolas no meio do ano.