Primeiro veio a vontade de empreender em algo artesanal, simples. Depois, que fosse ligado ao que Nadezhda Bezerra – escritora, mestre em comunicação e publicitária de formação – sabe e ama fazer: escrever para emocionar pessoas. Daí veio junto a lembrança de algo que ela sempre fez para amigos e familiares: escrever o que eles tinham em mente, mas não conseguiam traduzir em palavras.

"Daí peguei linha, agulha, costurei tudo, arrematei com um laço de fita (risos) e nasceu a Artesã de Histórias", explica a empresário, que lançou recentemente um negócio de produção de textos afetivos sob encomenda para presentear de forma especial. Neste 19 de novembro, Dia Global do Empreendedorismo Feminino, o PorAqui conta a história dessa setubalense que lançou recentemente uma empresa bem diferente.

"Eu sou naturalmente emotiva, mesmo sendo do signo de aquário (risos), do tipo clichê que chora em comercial. Lembro de ter menos de 10 anos quando li Capitães de Areia, de Jorge Amado, e chorar no carro quando vi crianças de rua na Agamenon. Talvez ali tenha percebido intuitivamente que se podia tocar o coração das pessoas através de histórias. Segui escrevendo bilhetes para minha mãe, meu pai, irmãos…", conta Nadezhda. 

Ela foi tomando gosto pela escrita, chegou a montar um blog (filosofandonobanheiro.blogspot.com) e fazer sucesso com seus cartões de aniversário – mais importantes até que os presentes em si, considera a publicitária. Mas a veia empreendedora explodiu, conta Nadezhda, quando ela escreveu a história de Sofia e teve a oportunidade de lançar seu primeiro livro, De princesa a estrela, a história de Sofia Fares, a biografia de uma menina que, por 5 anos e 55 dias, encantou todo um "reino" na batalha por problemas de saúde.

"O empreendedorismo, além de ter vários casos na família, vem de uma inquietude e vontade de brilhar o olho em tudo que faço, mas, sobretudo, do desejo de criar possibilidades. A Artesã de Histórias é meu primeiro empreendimento 'solo'. Antes veio a Revista Mensch, com André Porto (onde hoje só atuo como produtora de conteúdo) e atualmente a Massa Conteúdo (com André Ferreira, Mônica Tavares e Sergio Mendonça)", detalha.

Para ela, batizar e precificar são "tarefas hercúleas". "Mas a proposta da Artesã de Histórias é ser acessível e viável que nem presente de amigo secreto de fim de ano, que a gente quer arrasar, mas não pode gastar muito porque tem muitos a dar", explica a empreendedora. No processo de precificação, Nadezhda criou categorias de textos, quantidade mínima de caracteres e um valor por isso, que vai se somando pelo tipo de texto e tamanho. Por exemplo, tem cartão de aniversário, crônica, convite de casamento…

A encomenda dos textos é feita por e-mail (artesadehistorias@gmail.com) e o cliente deve descrever qual o tipo de texto (Nadezhda também pode sugerir), para quem é, qual o objetivo. É preciso principalmente contar a ela a relação que se tem com a pessoa que vai receber o presente. A partir desse primeiro contato, a relação é aberta e as partes podem trocar telefone e se falar mais vezes até que o desejo seja bem captado e produção possa ser iniciada. 

A entrega também é feita por e-mail. Para quem desejar, a empresária também pode indicar parceiros designers, diretores de artes, produtores de áudio, gráficas, etc.

Quer sugerir pautas em Setúbal? Envie um e-mail para poraqui@jc.com.br.

LEIA TAMBÉM

Grupo de mulheres promove feira do desapego em Setúbal

Mamógrafo móvel da prefeitura passará por Setúbal em novembro