No Grande Recife, em média 15 veículos são roubados a cada dia. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Defesa Social (SDS), que contabilizou, de janeiro a agosto deste ano, 3.751 casos desse tipo de crime na região. Apenas no Recife, foram registrados 1.899, nos primeiros 244 dias do ano, enquanto na Região Metropolitana o número ficou em 1.852. 

Os dados representam um aumento de 32% em relação ao número registrado no mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 2.839 roubos de veículos, sendo 1.436 apenas no Recife. Também foram registrados casos de bandidos que arrombam os carros para roubar o pneu estepe

No Recife, o bairro com maior incidência desse tipo roubo é Boa Viagem, na Zona Sul, que responde por cerca de 10% dos casos. Logo em seguida vêm os bairros de Jardim São Paulo e Cordeiro, ambos com quase 5% dos casos. “Em Boa Viagem, por exemplo, a aparência da vítima chama muito mais atenção que o modelo do carro. Os assaltantes escolhem as pessoas de acordo com os pertencer que acreditam que elas carregam”, afirmou Diego Acioli.

Ainda de acordo com a SDS, o número de veículos recuperados no Recife teve um aumento de 80%, comparando ao mesmo período do ano passado. Em contraponto, os índices gerais apontam que, na Região Metropolitana, houve uma diminuição nos veículos recuperados de menos de 1% (0,8%), no comparativo com janeiro e agosto de 2015. 

Titular do setor de Roubos e Furtos de Veículos do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), o delegado Diego Acioli explicou que existem duas linhas principais desse tipo de crime, mas a maioria deles é praticada apenas para o roubo de pertences das vítimas. “Geralmente o roubo acontece de acordo com a oportunidade do criminoso. Ele vê as vítimas, majoritariamente desatentas e próximas ao carro, e anuncia o assalto para roubar relógios, celulares e outros pertences, mas aproveita o veículo para fugir do local”, explicou o delegado. 

Ainda de acordo com ele, existem os roubos direcionados, em que os carros são levados para desmanche e venda de peças nos ferros-velhos. “Esse tipo é o menos comum, que ocorre com carros de modelos mais populares, como Palios, Unos e Gols”, completou. Em 2016, no Recife, foram recuperados 1.865 dos 1.899 carros roubados. Na Região Metropolitana, foram 735, dos 1.852. Em 2015, foram a polícia recuperou 1.035 e 741, respectivamente.

A maioria dos casos de roubos de veículos em Pernambuco acontece com vítimas que costumam ficar dentro ou perto dos veículos, após estacionar. “Como eles agem aleatoriamente, geralmente são alvo as pessoas que estão conversando próximo ao carro e principalmente quem, mesmo depois de estacionar, continua dentro do veículo. Por isso que a maioria dos veículos é restituída em pouco tempo”, disse o delegado Diego Acioli. 

Confira as dicas de prevenção fornecidas pela SDS:

» Quando estacionar o carro, fique atento ao redor. Ao notar movimentação ou presença de pessoas estranhas, dê uma volta no quarteirão e, se permanecer, acione a polícia;

» Permaneça o tempo estritamente necessário com o carro estacionado estando dentro dele. Carros estacionados em locais desertos e escuros favorecem a ação da criminalidade;

» Fique atento ao entrar e sair do veículo.

A Polícia Civil recomenda que seja comunicado imediatamente à polícia o roubo de veículos. Primeiro, deve-se ligar para o 190, para que seja emitido um alerta temporário a todas as viaturas, na tentativa de prender o suspeito e restituir o carro. Além disso, deve ser registrado o Boletim de Ocorrência em qualquer delegacia, para que o alerta passe a valer nacionalmente. Não é possível registrar B.O. de veículos roubados pela internet.

As informações são de Pedro Alves, do JCOnline

Sugestões de pauta e colaborações em Setúbal? poraqui@jc.com.br ou (81) 3413.6543

LEIA TAMBÉM

Setúbal ganha mais uma viatura da PM

Grupo entrega mapeamento da violência no bairro à PM e pede mais uma viatura

O diagnóstico da criminalidade em Setúbal: um retrato feito pelos próprios moradores

Polícia prende assaltantes que roubaram carro em frente a academia