Por Thiago Antunes e Gustavo Capucho*

Bons dias aguardam os apreciadores brasileiros de café. O mercado mundial da bebidas está crescendo e o Brasil (maior produtor mundial) está claramente acompanhando essa expansão, com zonas de produção de maior quantidade e melhor qualidade, localizadas sobretudo no Sudeste do País (principalmente no cerrado e no sul de Minas Gerais).

Nossa produção conta também com pontos de plantio no Norte, Nordeste e Sul. O café do maior país da América Latina tem uma boa variedade de elementos que influem no produto final da safra, como o terroir.

A diferença de preços entre os cafés de mais alta qualidade e os tradicionalmente consumidos é pequena para o setor de serviços, que, se aproveitando de um produto de preço mais baixo, encontra uma saída para uma época em que o dinheiro no bolso dos consumidores é escasso.

É possível servir um produto de altíssima qualidade por um preço acessível e oferecer os mais variados ambientes para se compartilhar os bons momentos que sempre se tem quando aquele aroma de café chega à sua mesa e dá novos ares a um dia cansativo, pelo preço do troco do pão.

O café especial (melhor classificação internacional) – que antes era levado do Brasil para apelar para os paladares mais exigentes do globo – agora tem uma taxa de 30% de permanência no País. Isso demonstra um aumento no consumo bruto e também uma maior qualificação dos degustadores da bebida quente mais querida do Brasil.

Apesar de o café ser um costume nacional datado do início do século XVIII, somente em 1980 foi criada uma associação nacional (Abic – Associação Brasileira da Indústria de Café) para regularizar o produto. E apenas em 1986 foram criadas as subdivisões brasileiras de qualidade do café.

Essa repentina evolução do mercado refletiu a necessidade existente entre os consumidores. O consumo interno de café saltou de 8,2 milhões de sacas, em 1990, para 20,5 milhões, em 2015. Em um tempo recorde, nosso País vem se tornando destaque não só com os números da exportação e do consumo, mas com a aquisição de certificados internacionais de padrão de excelência.

*Thiago Antunes é sócio proprietário e Gustavo Capucho é barista do Fervo Coffee Shop

Quer ser colaborador(a) do PorAqui ou sugerir pautas? Escreve para gente: poraqui@jc.com.br.