Enquanto tem muito cãozinho adestrado por aí, tem muito dono de cachorro precisando de educação. Nas voltas com o pet aqui em Setúbal, na Zona Sul do Recife, muitos não levam um item importante: o saquinho para coletar o cocô que o animalzinho faz durante o passeio. As ruas do bairro mais parecem um “campo minado”. 🙁

O resultado é gente pisando nos dejetos na hora de ir pra escola, pro trabalho, na ida à padaria ou à farmácia, por exemplo, correndo o risco, inclusive, de levar um escorregão e se machucar feio. É um inconveniente que, com bom senso, educação e respeito, se resolve fácil.

Pra quem tem gatos, a caixinha de areia resolve facilmente, mas, para os amantes dos cachorros, é importante o uso do saquinho coletor, já que os animais precisam sair pra passear e é justamente nesses momentos que eles fazem “suas necessidades”.

Não há muito segredo, qualquer saquinho serve, e a técnica é super fácil. Você veste a mão com o saco como se fosse uma luva, apanha o cocô (geralmente durinho!) e vira, fazendo com que o cocô se aloje no saco enquanto sua mão se despe dele.

Pronto, é só jogar na lixeira mais próxima ou levar pra casa e dar descarga na privada. O que não pode é fazer do espaço público o banheiro a céu aberto do seu bichinho de estimação. Ironia mode on, porque explicar algo tão simples chega a ser cômico…

Pra quem reclama que não há lixeiras nas calçadas e, por isso, não tem onde colocar o cocô do cachorro, aviso importante: a desculpa está saindo mais feia do que a atitude (ou falta dela). Seu cão, sua responsabilidade!

Negócio

Mas para facilitar a vida dos humanos e não deixar cãozinho nenhum envergonhado, tem empresa como a Pooblicão que instala estações de retirada de saquinhos no intuito de educar e ajudar a conservar a cidade limpa. Na orla do Cabo Branco em João Pessoa, já existem várias dessas estações, está mais que na hora de Setúbal entrar nessa onda, né?