Em 2016, o reajuste do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) chegou bem salgado: 9,93%. O aumento é referente à variação acumulada do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) nos últimos 12 meses até outubro. Quem optar pela cota única tem desconto. No Recife, o abatimento é de 10%. Quem for parcelar tem até dez meses para quitar o pagamento. Pagando em dia, a prefeitura concede 5% de desconto.

Mas atenção: o prazo para conseguir o abatimento vai até o dia 10 de fevereiro. Apenas os contribuintes adimplentes com o município até o dia 10 de novembro de 2015 (data de pagamento da última cota do imposto do exercício anterior) terão direito ao benefício.

O contribuinte também pode acessar o extrato do IPTU no site Prefeitura do Recife, no www.recife.pe.gov.br. Basta clicar em “Finanças Atendimento ao Contribuinte” e escolher o botão “IPTU e Taxa de Limpeza”. É preciso informar o sequencial do imóvel.

O pagamento pode ser efetuado nas agências bancárias, casas lotéricas ou por internet banking. Os responsáveis por imóveis residenciais e/ou comerciais dispõem do débito automático nos bancos credenciados, mas, nesse caso, é preciso antes fazer a solicitação no site da Prefeitura do Recife.

Dúvidas? Ligue para o 0800.081.1255.

Vale a pena pagar à vista?

Se o contribuinte tem disponibilidade de recurso, o ideal é que pague à vista, para conseguir o máximo de abatimento possível. Caso não tenha condições, o professor de economia da Faculdade Boa Viagem (FBV) Marcelo Barros lembra que é preciso atentar para o fluxo mensal da família, já que o imposto terá que ser incorporado mês a mês no orçamento.

Os especialistas em finanças pessoais não recomendam contrair empréstimo para quitar o IPTU. Isso porque as taxas de juros praticadas no mercado estão exorbitantes. “Num consignado (modalidade mais barata de empréstimo), por exemplo, paga-se atualmente em torno de 1,7% de juros por mês, na média. Colocando isso em dez parcelas, chega-se a uma taxa de juros de 22,6%”, calcula o professor.

“Dificilmente alguém irá contrair um empréstimo para pagar somente o IPTU”, destaca Barros, lembrando o aumento do endividamento das famílias. Quem não paga no prazo fica sujeito a cobrança de multa e de juros. No Recife, por exemplo, a multa é de 5% por mês de atraso, até o limite de 20%, e os juros são de 1% ao mês.

O contribuinte que não quitar o IPTU pode ter o nome inscrito em cadastros de proteção ao crédito e o título também pode ser protestado em cartório. Em último caso, a prefeitura pode requerer em juízo a penhora e venda do imóvel em leilão, para receber o valor do imposto. As procuradorias da Fazenda dos municípios estão bem mais eficientes nos últimos anos.

No Recife, o calote no IPTU gira em torno 20%. Segundo o secretário-executivo de Tributação, Prosperino Sarubbi, esse índice vem se mantendo nos últimos anos. A expectativa é arrecadar R$ 460 milhões neste ano, somando IPTU e Taxa de Limpeza Pública (TLP), contra R$ 410 milhões do ano passado.