É fácil encontrar, na Favela do Amor e nos arredores, relatos sobre acidentes na Rua Marechal Juarez Távora, em Setúbal, na beira do canal. Quem mora no local afirma que o número de ocorrências cresceu após a abertura da pista leste da Via Mangue. O movimento aumentou e os motoristas têm passado pelo local em alta velocidade, sobretudo de madrugada.

Recentemente, por exemplo, um carro derrubou a coberta de uma das casas que ficam na parte da frente da comunidade, próxima ao cruzamento com a continuação da Av. Barão de Souza Leão. Foi a segunda vez que isso aconteceu e os proprietários do imóvel ficaram no prejuízo.

Os moradores conversaram com a reportagem, mas disseram ter receio de mostrar o rosto e o nome por já terem entrado em confusões com alguns motoristas infratores. O desejo, explicam, é que pelo menos fosse instalada uma lombada para forçar os condutores a reduzirem a velocidade. "Eu vejo a hora entrarem aqui e derrubarem tudo", reclama uma moradora.

O PorAqui entrou em contato com a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) para saber se existe algum estudo de fluxo do local e o posicionamento do órgão em relação ao caso. A CTTU informou, através de nota, que está à disposição da população e, mesmo não havendo qualquer pedido formal junto à companhia será enviada equipe técnica para avaliar a necessidade da colocação de algum equipamento com esse propósito na via.

A CTTU disse ainda que, "para implantação da pista leste da Via Mangue, foram realizados estudos de engenharia de tráfego, com projeções e simulações de fluxo veicular, levando em conta o entorno da via e suas características. Após a abertura da pista, a companhia segue monitorando todos os acessos à via e realizando os ajustes necessários, considerando a acomodação dos veículos, ciclistas e pedestres ao sistema viário".

O órgão lembrou também que, "com a abertura da Via Mangue, milhares de passageiros são beneficiados todos os dias com a utilização da Faixa Azul das avenidas Conselheiro Aguiar e Domingos Ferreira, além da expansão da rede ciclável do Recife com sete quilômetros de ciclovia e ciclofaixa – o que reforça a importância do equipamento para todo o território sul".

Ressaltou por fim que "as ações de fiscalização, manutenção e ampliação da sinalização vertical e horizontal são prioridade para a atual gestão, que, nos últimos três anos, implantou 95 equipamentos de fiscalização eletrônica e realizou a pintura de 4 mil faixas de pedestres e mais de 6 mil placas de sinalização vertical, reduzindo em cerca de 25% os acidentes com vítima na cidade".

LEIA TAMBÉM

CTTU confirma implantação de faixa de pedestres nas proximidades do RM Express

A saga por uma faixa de pedestres

Cansados de esperar, moradores pintam faixa de pedestres

Quer sugerir pautas ou fazer críticas construtivas? Escreve para a gente: poraqui@jc.com.br.