Em única apresentação no Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, o Grupo Nativos da Ilha de Deus, através da peça Rios Mortos, Mangue sem Vida, Povo com Fome, vai contar a história de luta da Ilha de Deus contra a poluição de rios e manguezais. Será nesta terça-feira (9), às 19h, com ingressos a R$ 5.

No palco, nove bailarinos e bailarinas contam essa história, com idades entre 14 e 19 anos. O grupo nasceu na ONG Centro Educacional Popular Saber Viver, na Ilha de Deus, no Pina, Zona Sul do Recife. Em agosto, eles seguem para uma turnê de 75 dias pela Europa.

Leia também: Mostra Inferno Ostentação prolonga exibição

A peça tem como enredo a história do local e os problemas com a ocupação desordenada que resultou na poluição da área. E mostra como solução o trabalho de replantio do mangue para a revitalização da comunidade.

No centro, os jovens constroem hortas verticais com garrafa pet retiradas da maré para produzir alimentos para as pessoas da comunidade, cultivam e plantam mudas de mangue para reflorestar as áreas degradadas na Ilha e no Parque dos Manguezais Josué de Castro. 

Também recolhem resíduos descartados nos rios do Recife para reutilização e reciclagem, entre outras ações promovidas pela ONG.

Serviço
Rios Mortos, Mangue sem Vida, Povo com Fome
Terça, 9 de agosto
19h
Teatro Luiz Mendonça, Parque Dona Lindu, Boa Viagem
R$ 5,00, na bilheteria do teatro e no Centro Educacional Popular Saber Viver
Informações: (81) 3355.9821

Quer sugerir pautas, divulgar um evento, fazer denúncias ou ser colaborador(a) de Setúbal? Escreve para a gente: poraqui@jc.com.br.