Depois de dois anos na corda bamba, o Festival Recife do Teatro Nacional deve finalmente se reencontrar. A 18º edição do evento, que ocorre entre 19 e 27 de novembro, reunirá grupos locais e nacionais, em um trabalho de curadoria que usou como critério principal a pesquisa de linguagem aprofundada. Entre os principais destaques está Nós, do Grupo Galpão (MG) – coletivo que esteve na primeira edição do festival, em 1997 – e subirá no palco do Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, em duas apresentações, nos dias 23 e 24 deste mês. 

Além do mineiro Grupo Galpão (um dos coletivos de maior destaque do País), haverá, no Luiz Mendonça, apresentações do Teatro Popular de Ilhéus (BA), com os espetáculos Medida por Medida, no dia 26, e Teodorico Majestade, no dia 27.

Segundo Romildo Moreira, gerente de artes cênicas da Prefeitura do Recife e coordenador do festival, a ideia é que o evento se consolide, afastando o fantasma do seu cancelamento, em 2014, e de uma edição enxuta e esquecível, em 2015. Este ano, o orçamento está estimado em R$ 260 mil. Ano passado, o orçamento inicial era de R$ 230 mil, mas, após o balanço final, ficou quase na casa dos R$ 300 mil, situação que deve se repetir.

"Nosso objetivo foi também equilibrar o festival para que os grupos locais e de fora tenham espaço. Nosso objetivo é com a formação e consolidação do público, assim como incentivas novos artistas", reforçou Romildo. 

Este ano, o evento presta homenagem ao grupo Mamulengo Só Riso, criado nos anos 1970, em Olinda, que ganhará exposição sobre sua trajetória no Centro Apolo-Hermilo. O evento contará ainda com ações formativas Os ingressos para as apresentações custarão R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Conheça os espetáculos que passarão pelo Teatro Luiz Mendonça

NÓS – Grupo Galpão – MG

Teatro Luiz Mendonça

Dias 23 e 24

Às 20h30

Duração: 1h30 – Indicado para maiores de 14 anos

O espetáculo faz parte da comemoração dos 30 anos da companhia. Nós tem direção de Márcio Abreu, da Companhia Brasileira de Teatro (CBT), e apresenta as tensões que surgem entre um grupo de indivíduos durante o preparo de uma refeição. Nesse encontro, são postos em pauta assuntos como a individualidade verus o coletivo, o privado e o público, violência e intolerância. O caráter político do espetáculo dialoga bem com o momento turbulento pelo qual o Brasil atravessa.

Medida por medida – Teatro Popular de Ilhéus – BA

Teatro Luiz Mendonça

Dia 26

Às 20h30

Duração: 1h30h – Indicado para maiores de 12 anos

Baseada na obra homônima de William Shakespeare, desdobra-se a partir das decisões de Ângelo, juiz implacável que entra no lugar do Duque de Viena, cumprindo à risca as leis contra fornicação. A direção é de Romualdo Lisboa, com tradução de Fernando Yamamoto.

Teodorico Majestade – Teatro Popular de Ilhéus – BA

Dia 27

Teatro Luiz Mendonça

20h30

Duração: 1h30 – Indicado para todos os públicos

O espetáculo conta a história de um prefeito beberrão e corrupto que está prestes a ser expulso do seu cargo pela população. Para tentar se livrar da situação, ele negocia a sua permanência. A peça, que completa dez anos em cartaz em novembro deste ano.

Do PorAqui com o blog Terceiro Ato

Sugestões de pauta e colaborações em Setúbal? poraqui@jc.com.br 

LEIA TAMBÉM

Tem Festival de Circo em Setúbal, sim senhor

Andaluzia e João Cabral de Melo Neto encontram-se em espetáculo de flamenco

Em dezembro, tem mais Setúbal Festival como polo de arte, moda e decoração