Morador do bairro, Cesar Junqueira, juntamente com a esposa Sofia Brayner (ambos dentistas militares) e mais um grupo de amigos e muita gente disposta a fazer o bem, já recolheram e distribuíram, em 33 meses, 500 mil kg de alimentos.

Tudo seria descartado na Ceasa-PE e por estabelecimentos parceiros, incluindo alguns de Setúbal. Mas, através do Projeto Amigos, esse alimentos chegaram a creches, asilos e casas de passagens do Recife e da Região Metropolitana. Agora Cesar e os parceiros querem fazer o Projeto Amigos crescer com ajuda dos moradores do bairro.

Ele começou, através da campanha Cesta Amiga, a fazer contato com setubalenses interessados em ajudar. A ideia é recolher apenas alimentos não perecíveis. Quem quiser participar pode entrar em contato com Cesar através do telefone (81) 9.9628.0020. “Eu posso ir aos prédios fazer o recolhimento”, adianta o dentista.

Por exemplo, se é seu aniversário e, em vez de pedir presentes, você quiser pedir aos convidados um quilo de alimento não perecível, essas doações também podem ser destinadas à Cesta Amiga. A maior parte do que é arrecadado hoje é destinada a famílias de baixa renda do Jordão e do Jardim Jordão (este último no município vizinho de Jaboatão dos Guararapes), com distribuição feita pela ONG Mão Amiga.

LEIA TAMBÉM

Comunidade da Borborema pede ajuda para realizar festa de Dia das Crianças

Veja como contribuir para a festa de Dia das Crianças da Comunidade Rio Azul

Projetos

Cesar participa de diversas iniciativas solidárias. A maior delas é a arrecadação de alimentos perecíveis na Ceasa. São principalmente verduras, raízes e frutas, tudo doado de boa vontade pelos comerciantes, numa rede de ajuda.

No dia em que a reportagem do PorAqui conversou com Cesar, na casa dele, ele havia acordado antes das 5h e só retornado para casa por volta das 17h, na missão de captar as doações. Com ajuda de outros voluntários, ele mesmo recolhe, organiza e empilha tudo no carro. “Me comprometi que, quando me aposentasse, atuaria ajudando outras pessoas”, conta.

O dentista, hoje aposentado, também distribui sopa do projeto Sopa Amiga, criado para aproveitar os excedentes não comercializados de hortícolas, mas que apresentam boas condições para o consumo humano, para produção de uma sopa concentrada, distribuída
para pessoas carentes através da Ceasa.

As padarias também destinam para o Projeto Amigos as chamadas “quebras”. São bolos, pães, roscas, salgados em bom estado, mas que estão chegando perto da data de vencimento. Além disso, distribuidoras de alimentos também cedem ao projeto produtos próximos
de vencer.

Sugestões de pauta e colaborações? poraqui@jc.com.br ou (81) 3413.6543