Está marcada para o dia 11, próxima segunda-feira, a primeira reunião dos moradores e comerciantes de Setúbal com o 19º Batalhão da Polícia Militar (BPM), responsável pela segurança na área. Quem estará presente é o major Paulo Matos, subcomandante do batalhão. Na pauta, a violência que assusta quem vive e trabalha no bairro. Será na Rua Copacabana, na casa ao lado da Igreja Adventista, às 19h. 

Onda de assaltos assusta moradores e comerciantes de Setúbal

Em paralelo, membros do Coletivo Setúbal estão agendando uma outra reunião com o comandante do 19º BPM, o capitão Manoel Rego Barros, para apresentar e discutir o plano Setúbal Seguro, formatado recentemente pelo grupo. Saiba mais clicando aqui. A data e o horário ainda estão sendo fechados.

O major Paulo Matos adianta ao PorAqui que, na ocasião, no dia 11, mostrará qual o papel da Polícia Militar e o esforço que tem sido feito pela corporação. "Já prendemos algumas quadrilhas na área. O problema da violência não é apenas em Setúbal e não diz respeito apenas à polícia. Tem que haver uma ação conjunta, por exemplo, com iluminação, prefeitura, comércios ambulantes, Dircon, para que possa haver uma diminuição dessas ações", argumenta Matos.

O subcomandante frisa que Setúbal não tem casos de homicídios. "O que está acontecendo são muitos CVPs (Crimes Violentos contra o Patrimônio, que englobam todo tipo de roubo: transeuntes, veículos, bancos, residências, etc.), ocasionados por essa soma de fatores", afirma o major.

"Precisamos de uma solução para que não aconteça o que já estão falando, fazer justiça com as próprias mãos", avalia Magali Pereira, moradora de Setúbal e uma das organizadoras da reunião da próxima segunda. O vereador Marcos Menezes é quem irá mediar o debate. 

LEIA TAMBÉM

Contra a violência, moradores montam plano de segurança para o bairro

Onda de assaltos assusta moradores e comerciantes de Setúbal

Moradores unem-se para pensar ações de segurança

Geraldo Julio fala sobre o projeto de oficializar Setúbal a bairro

Problema urbano em Setúbal? O PorAqui também é um canal de denúncias