Moradores de Setúbal estão preocupados com três possíveis focos do mosquito aedes aegypti, que transmite dengue, zika e chikungunya, em imóveis da Rua Capitão Zuzinha, nos nºs 280, 274 e 252. Os setubalenses alegam que, apesar das denúncias, não conseguem um retorno da Prefeitura do Recife.

Procurada pelo PorAqui, a Vigilância Ambiental do Distrito Sanitário VI informou que os três imóveis denunciados já receberam a visita dos agentes de saúde ambiental e controle de endemias (Asaces) da Secretaria de Saúde do Recife. Em ambos, não foram encontrados focos positivos nas últimas vistorias realizadas. Os reservatórios existentes estão tratados e são monitorados pelos agentes.

A reportagem também aproveitou para perguntar à pasta como é feita a organização das vistorias e qual é o caminho da denúncia depois que ela chega aos órgãos competentes. A Gerência de Vigilância Ambiental esclareceu que as denúncias são verificadas pelas equipes distribuídas em todos os Distritos Sanitários da cidade.

Informou ainda que os logradouros são vistoriados conforme um cronograma pré-estabelecido ou por ordem de demandas, para visita dos Asaces. Segundo o órgão, a vistoria nos imóveis é realizada a cada dois meses, constituindo um ciclo. A secretaria de Saúde disse que, por isso, não é possível prever o tempo de espera entre a denúncia e a efetiva verificação.

Em 2015, os Asaces fizeram mais 2,2 milhões de visitas no Recife. Em 2016, foram vistoriados mais de 313 mil imóveis residenciais, comerciais e prédios públicos até meados de fevereiro.