Relatos não faltam. A cada esquina, quem mora ou trabalha em Setúbal tem uma história de violência para contar. O número de roubos e furtos vem crescendo assustadoramente nos últimos meses. Por conta disso, o Coletivo Setúbal, formado por moradores do bairro, resolveu reunir-se para pensar ações de prevenção e solicitar uma reunião junto ao 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM), responsável pela segurança da área.

Segundo levantamento repassado pela Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco, o número de ocorrências de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) passou de 2.443, entre janeiro de abril de 2015, para 2.734, entre janeiro de abril de 2016, na Área Integrada de Segurança (ASI) 3.

Os CVPs englobam todo tipo de roubo (transeuntes, veículos, bancos, residências, etc.) e extorsão mediante sequestro. A ASI 3, por sua vez, abrange Boa Viagem, Brasília Teimosa, Cohab, Ibura, Imbiribeira, Ipsep, Jordão e Pina. Setúbal consta como localidade de Boa Viagem.

No que se refere ao número de vítimas de Crime Violento Letal Intencional (CVLI) – homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte -, ainda na AIS 3, o aumento foi de 40 para 51, na comparação com o mesmo período.

Os números, no entanto, podem maquiar a realidade, já que muitas ocorrências não são registradas. Por isso, a primeira providência do Coletivo Setúbal tem sido reforçar com a vizinhança a necessidade de registrar Boletim de Ocorrência (BO), para que os casos transformem-se em estatísticas. Clique aqui para registrar um BO pela internet.

A SDS reforça a importância de registrar as denúncias, através do 190, e formalizar os casos de ocorrência na delegacia da Polícia Civil mais próxima, bem como as características de indivíduos suspeitos na localidade.

Etiane Lisboa, membro do Coletivo Setúbal, umas das moradoras à frente das questões de segurança no bairro, explica que as ações que estão sendo pensadas são inspiradas em projetos como o Vizinhança Solidária, de Santo André (SP). São iniciativas simples em que um vizinho vigia o outro através de um rede de comunicação que envolve condomínios, casas e empresas. A ideia é também deixar claro que tem sempre gente de olho na localidade, para coibir as investidas das ladrões.

Os detalhes das ações ainda serão validados após reunião com o 19º BPM. O coletivo quer ouvir o batalhão e também ser ouvido. A data do encontro está sendo fechada. Além disso, será organizado um abaixo-assinado para pedir mais atenção da política para a área. “A gente sabe que a crise vem provocando o aumento da violência. Nosso objetivo é pensar ações de coação como saída, já que não temos como resolver os problemas do País sozinhos nem como ficar apenas esperando a resposta do poder público”, avalia Etiane.

Alguns membros do Coletivo Setúbal juntamente com comerciantes e policiais que moram ou atuam na área mantêm um grupo no WhatsApp para comunicar ocorrências. “As vezes em que solicitamos reforço, fomos rapidamente atendidos. Uma vez, por exemplo, evitamos que um tumulto no Parque Dona Lindu chegasse ao evento Setúbal Gastrô, que acontecia na mesma hora, na Av. Visconde de Jequitinhonha. Mas sabemos que isso é paliativo e nem todos têm acesso”, avalia Daniel Uchôa.

O comando do 19° batalhão informou, através da assessoria de comunicação da Política Militar de Pernambuco (PMPE), que o policiamento feito no bairro de Setúbal é realizado com Patrulhas do Bairro (PB) – Setúbal I, II e III – e guarnições táticas,que realizam rondas na região, diuturnamente, além do recobrimento de policiais a pé (PO) e do Grupo de Apoio Tático Itinerante (GATI).

Confira alguns depoimentos recentes de quem mora no bairro:

Carolina Rodrigues, 26 de maio

Hoje, por volta de 13h, dois homens em um Corsa assaltando aqui na Rua Cruzeiro do Forte, perto do Terminal de Setúbal. Essa rua é campeã em assaltos, merece um troféu.

Mirella Lima, 20 de maio

Pessoal, aconteceu algo bem chato nesta madrugada, na Rua cosmorama. Minha vizinha quase teve sua casa arrombada. Alguns ladrões tentaram invadir, mas ela estava acordada e começou a gritar e a acender as luzes da casa, afugentando os bandidos. Eles tentaram pular o muro da minha casa, na tentativa de fugir, mas não conseguiram. Fica o alerta, tranquem bem suas portas, coloquem cadeados nas grades, chicotes… A coisa tá tensa mesmo!!

Bruno Zacharias, 19 de maio

Galera… Acabei de testemunhar um assalto em frente ao meu prédio, na Rua Waldemar Nery Carneiro Monteiro, bem perto do Dona Gula. Dois sujeitos numa moto Bros vermelha anunciaram o assalto a um menino de 15 anos… Levaram o celular dele! Eu estava com meu filho de 1 ano no colo do outro lado da rua, numa distância de 10 m do ocorrido, os caras olharam na minha cara e não fizeram nada! Os sujeitos vestiam blusa preta e calça jeans, o piloto, e o carona, blusa azul clara e calça jeans! Até quando?

Quer sugerir pautas ou fazer críticas construtivas? Escreve para a gente: poraqui@jc.com.br.