A partir da primeira hora desta sexta-feira (21) os policiais civis de Pernambuco paralisarão as atividades em todo o Estado. A informação foi confirmada pela assessoria do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), que após assembleia não entrou em acordo com o governo do Estado sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) da categoria.

Segundo um representante do sindicato, inicialmente serão mantidos 30% da normalidade dos atendimentos, além do flagrante em local de crime e os trabalhos do Instituto de Medicina Legal (IML).

O que vai funcionar: delegacias de plantão, para lavratura de flagrantes e 30% do atendimento nos IMLs

O que não vai funcionar: BOs, emissão de carteiras de identidade e investigações

Proposta

Os policiais estiveram reunidos com o governador Paulo Câmara nesta tarde e, segundo a categoria, foi apresentada pelo gestor uma "proposta não imediata, sem termos concretos". "Por duas ou três vezes o governo indicou datas e não implementou as propostas, a categoria não sentiu confiança na promessa do governo e o movimento foi deflagrado", informou o assesor do Sinpol, Márcio Santos.

No último dia 13, a categoria já havia decretado o estado de greve em Pernambuco. O diálogo com o governo gira em torno da negociação sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) da categoria. A paralisação seguirá por tempo indeterminado.