Você sabia que Setúbal não é um bairro? É, na verdade, uma localidade de Boa Viagem. Mas o sentimento bairrista está fortemente presente no cotidiano de quem mora em Setúbal. Mas, por não ser bairro, o local não tem, por exemplo, estatísticas próprias que apontem população, dados de violência, saúde, educação. 

A área também não existe oficialmente dentro da Prefeitura do Recife nem possui delimitações formais. Mas a transformação social e econômica vivida por Setúbal nos últimos anos ajudou a fortalecer ainda mais o sentimento de identidade dos moradores. 

Muita gente brinca dizendo que a região é, na verdade, uma república independente. E realmente é. Tem uma dinâmica própria, é diferente do restante do bairro de Boa Viagem. Pensando em tudo isso, um grupo de moradores está articulando um abaixo-assinado para provar à prefeitura que o bairro quer ser reconhecido como tal.

Quando vereador, Wanderson Florêncio, advogado e morador de Setúbal, elaborou uma ante-projeto para pleitear a elevação junto ao executivo municipal, com as seguintes delimitações: ao norte, a Av. Barão de Souza Leão; ao sul, a Av. Armindo Moura/ a Leste, a praia; a Oeste, a linha férrea do metrô.

Leia também: E se Setúbal fosse oficialmente elevado a bairro?

Em junho, numa entrevista exclusiva ao PorAqui, o prefeito Geraldo Julio afirmou ser simpático à iniciativa. "Os moradores têm essa reivindicação e a gente está estudando a possibilidade. Acho que é algo saudável", disse na época.

Relembre: Geraldo Julio fala sobre o projeto de oficializar Setúbal a bairro

Agora o Coletivo Setúbal quer provar à prefeitura que a vontade da oficialização é coletiva. "A prefeitura solicitou que a gente organizasse alguns marcos nesse processo. O primeiro deles será esse abaixo-assinado. A ideia é colher pelo menos mil assinaturas, um número simbólico", explica Wanderson.

"A bola voltou para a gente e vamos dar mais esse passo. Com a entrega, vamos ter cumprido a nossa parte. Depois a prefeitura ainda vai precisar fazer alguns estudos", complementa. O processo, na verdade, pode ser bem longo. Refazer uma divisão político-administrativa significa, por exemplo, também mudar os cadastros de IPTU, dos Correios, da Compesa, da Celpe, entre outros.

Wanderson lembra que esse é o primerio caso no Recife de uma movimentação popular pedindo a criação de um bairro. "Não há uma lei ou norma que regulamente isso. Setúbal está sendo um experimento", frisa.

"Quando tratamos do quesito identidade própria aí talvez tenhamos Setúbal como uma das poucas localidades da Zona Sul que de fato possuem uma. Quem sabe seja por isso que seus moradores se autodenominem 'setubalenses' tamanha força de identificação com o lugar onde vivem", lembra o Coletivo Setúbal no texto do abaixo-assinado.

Acesse aqui o abaixo-assinado.

LEIA TAMBÉM

Setúbal é território independente e atraente da Zona Sul do Recife

Moradores querem parque verde em terreno sem uso há mais de uma década

Conheça o projeto que quer criar a Vila Sá e Souza

Nossa pobre arborização urbana