Já ouviu falar do Pluvi.On? O aparelho é uma criação de dois paulistas que decidiram inventar uma forma inovadora de medir as chuvas nas grandes cidades. Com um projeto open source, ou seja, todo mundo pode ter acesso as informações técnicas, o Pluvi.On é uma criação de baixo custo que permite antecipar se poderão ocorrer enchentes ou inundações em áreas específicas.

Pedro Godoy, engenheiro civil de formação ou "resolvedor de problemas aleatórios", e Diogo Tolezano, vivenciador de práticas do universo maker ou "especialista em coisas impossíveis", são os dois nomes por trás do projeto. 

Os dois criativos são hackers urbanos. E não, esses não são os hackers do mal que estamos acostumados a ver invadindo sites de bancos.    Os hackers urbanos são as pessoas que desenvolvem iniciativas e intervenções para melhorar a cidade. 

Em um evento do RedBull Basement, o PorAqui participou de um workshop com a dupla criativa e aprendeu a montar o dispositivo. 

Confira o vídeo do evento que rolou neste mês de maio no FabLab, no Paço Alfândega, no Recife Antigo:

Instalamos um aparelho em Setúbal, e o morador José Carlos de Souza tornou-se o "guardião". O equipamento está no alto da casa dele. "A ideia do Pluvi.On é muito útil pra cidade", avalia José, que mora há mais de 15 anos no bairro e agora é o responsável por monitorar o aparelho. 

COMO FUNCIONA?

A partir do início da chuva, o aparelho começa a encher e vira quando atinge a capacidade limite. A cada volta, o sensor magnético detecta a passagem do imã e envia os dados da estação para a base de dados na nuvem. 

O sistema é bem simples, mas conta com um sensor de temperatura e umidade e outro sensor magnético, o que permite que seja feito um monitoramento em tempo real via Wi-Fi (ou GSM, para locais sem Wi-Fi) do volume das chuvas.

O projeto é composto pelas seguintes peças:

1 – sensor de umidade e temperatura: DHT22
2 – tipping bucket: “baldinho triangular” para medição de chuva
3 – imã de neodimio N35 Disco (4x2mm) encaixado no tipping bucket.
4 – sensor magnético: Sensor Hall (DRV5023 SMD)
5 – NodeMCU: conecta o Pluvi.On na nuvem via wi-fi
6 – estrutura em acrílico

Na prática, o dispositivo recebe informações sobre a chuva e consegue codificá-las em forma de gráficos e possibilita o entendimento do comportamento da chuva de um determinado local. Aqui no nosso bairro, o PorAqui pretende utilizar do dispositivo para disparar alertas aos moradores.

Quem quiser saber mais, pode entrar em contato com os engenheiros e hackers pelo site. Além disso, todo mundo pode acessar o link e acompanhar o monitoramento das chuvas do bairro de Setúbal em tempo real.


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o app e espalhar pros vizinhos: Android e iOS

Sugestões e colaborações: setubal@poraqui.news