Do JCOnline

Marcado pela polêmica e pela discórdia desde o início da obra de construção, o Parque Dona Lindu, em Setúbal, mais uma vez é colocado na berlinda com o abaixo-assinado virtual que propõe a troca do nome da área de lazer para Parque Boa Viagem. Enquanto a petição on-line contava com 11.402 apoiadores na última quarta-feira (11), pesquisa realizada pelo Instituto Maurício de Nassau constatou que os recifenses são contrários à mudança.

De um total de 642 entrevistados, 95% já ouviram falar no parque, localizado à beira-mar. Desse universo, 60,1% responderam que já frequentaram o local e 46,6% sabem quem é Dona Lindu. Na opinião de 74,7% dos 46,6% que reconhecem Dona Lindu (Eurídice Ferreira de Melo) como a mãe do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, o parque não deve ter o nome alterado.

Apenas 9,5% dos que sabem quem é Dona Lindu concordam com a troca do nome, pelos seguintes motivos: o parque deveria homenagear alguém importante para o Recife ou Pernambuco; por causa dos escândalos e corrupções envolvendo o nome de Lula; é em homenagem à mãe do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; a mãe de Lula não fez nada por Pernambuco; sem história; porque é estratégia política; e porque deve homenagear o nome da cidade.

O mesmo grupo sugere outras denominações para o parque – Boa Viagem, Eduardo Campos, Ariano Suassuna, Oscar Niemeyer, Mestre Vitalino, Miguel Arraes, Nossa Senhora da Conceição, Pelópidas Silveira e Beira-Mar. A pesquisa foi realizada em 3 e 4 de maio de 2016, por amostragem.

Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012), o parque ganhou um memorial dedicado aos retirantes, do artista plástico Abelardo da Hora (1924-2014), numa referência à família de Lula. A primeira etapa foi inaugurada em 30 de dezembro de 2008, com a presença de Lula e sob protestos de moradores de Boa Viagem, que preferiam uma área verde. Na ocasião, o então presidente chegou a comentar: “Se, ao invés de uma mulher retirante e seus filhos colocassem uma aristocrata pernambucana, não teria havido protesto.”

Justiça

A construção do parque teve início em 2008 e terminou em 2011, após a Prefeitura do Recife enfrentar oito ações na Justiça. A obra custou R$ 37 milhões, valor considerado alto pela população, para uma cidade com tantos problemas sociais. A área de lazer ocupa um terreno de 33 mil metros quadrados que pertencia à Aeronáutica e foi cedido ao município pelo governo federal.

O Dona Lindu é composto de playground, pista para prática de cooper e skate, quadra poliesportiva, área para ginástica, Teatro Luiz Mendonça com capacidade para 587 pessoas sentadas e Galeria Janete Costa.

A petição on-line, sugerindo a troca do nome, está abrigada no site change.org, voltado para a criação de qualquer tipo de abaixo-assinado, desde 26 de abril de 2016. A meta é alcançar 15 mil assinaturas.

LEIA TAMBÉM

Na esteira da crise do PT, abaixo-assinado propõe mudar nome do Parque Dona Lindu para Parque Boa Viagem. Você concorda?

Mais um acesso ao Parque Dona Lindu

Jovens causam tumulto no Parque Dona Lindu

Sem manutenção, Parque Dona Lindu pede socorro

Dona Lindu: Galeria Janete Costa continua sem ar-condicionado