Reflexões para quem pensa em ‘dar o lavra’ de Recife