Os administradores do grupo Policiamento de Setúbal entregaram ao 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM), conforme prometido, o breve diagnóstico da criminalidade contra o patrimônio no bairro. O material é resultado de um levantamento sobre os crimes em Setúbal feito por um grupo de vizinhos, por conta própria.

Saiba mais:

O diagnóstico da criminalidade em Setúbal: um retrato feito pelos próprios moradores

O encontro com o comando do batalhão aconteceu nesta terça (13), acompanhado de um pedido, por parte do grupo, de mais uma viatura ordinária para Setúbal, na tentativa de reforçar o patrulhamento. 

Na avaliação do subcomandante do 19º BPM, major Paulo Matos, os dados apresentados pelo grupo de vizinhos estão dentro do que a polícia vem trabalhando. "É importante porque eles trouxeram tudo bem organizado", avaliou o major, lembrando que alguns casos relatados na compilação têm registro em Boletim de Ocorrência (BO) e outros não.

No entanto, em relação à possibilidade de mais uma viatura fixa, Matos comenta que "a localidade é hoje a mais bem policiada da área". Em outras palavras, será difícil conseguir mais um veículo. Os administradores do Policiamento de Setúbal dizem que irão apelar para tentar pelo menos algumas motos.

"Nossa luta agora vai ter que ser pela substituição por motos. As viaturas estão perdendo de finalizar com sucesso várias ocorrências porque os indivíduos estão de bicicleta ou de moto. Então a viatura não consegue chegar porque eles pegam a contramão ou locais sem acesso", adianta Paula Rúbia, uma das organizadoras do Policiamento de Setúbal.

O subcomandante do 19º BPM acredita que está havendo uma migração dos assaltos, para a porção central de Boa Viagem, nas proximidades da Igreja de Boa Viagem, e não mais da Av. Barão de Souza Leão "para dentro" (para a porção de Setúbal). "Isso já por conta do reforço em Setúbal", diz ele.

Quando o assunto é segurança motorizada, atualmente Setúbal conta com uma viatura ordinária e duas PJEs (Programa de Jornada Extra de Segurança), além das chamadas "inquietações", que são as viaturas de reforço, da Rocam e do Gati, por exemplo. 

"Estamos tentando trabalhar as ações preventivas, para evitar as idas à delegacia e não perder as viaturas", diz o major Matos. Os atendimentos estão demorando bastante para serem concluídos nas delegacias e, como consequência, os veículos da PM ficam presos aguardando o fechamento das ocorrências.

Diagnóstico – Das 6h às 9h e das 17h às 20h. Esses são os horários de maior incidência da criminalidade contra o patrimônio em Setúbal. Depois das 21h, são os estabelecimentos comerciais as maiores vítimas, com arrombamentos frequentes. Mães com crianças têm sido vítimas em potencial. Muitos assaltantes têm portado armas de brinquedo (simulacros). Esses são alguns dos resultados de um levantamento sobre crimes no bairro, feito por um grupo de vizinhos, por conta própria. Boa parte dos casos de assaltos têm acontecido entre as ruas Augusto Lins e Silva e Barão de Souza Leão e entre as ruas Setúbal e 20 de Julho.

Sugestões de pauta e colaborações em Setúbal? poraqui@jc.com.br ou (81) 3413.6543

LEIA TAMBÉM

Polícia prende dois homens armados na Barão de Souza Leão