As escolas tentam reverter os problemas de mobilidade, apesar de nem sempre ser possível. A imobilidade é consequência direta do fluxo de veículos, que cresceu demais nos últimos anos. O PorAqui conversou com duas das maiores instituições de ensino localizadas no bairro e que costumam atrair o maior fluxo de automóveis.  

A Unidade II do Colégio Madre de Deus, por exemplo, investiu num estacionamento com 100 vagas e em área de embarque e desembarque. Na Unidade I, também há local para estacionar, num terreno próximo. Lá, a mudança no trânsito, com a implantação da mão única, ajudou a amenizar o problema. 

"Fazemos atividades periódicas, em que os alunos ensinam os pais e ajudam a chamar a atenção para o problema. É uma questão de construção de hábito", avalia a vice-diretora do Madre de Deus, Cláudia da Fonte. 

A Escola Primeiro Passo e o Colégio Grande Passo informa que vem tentando dialogar com a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) alguma mudança no trânsito da Rua Professor Aurélio de Castro Cavalcanti para melhor organizar a entrada e saída dos alunos. 

A Escola Primeiro Passo e o Colégio Grande Passo também desenvolvem algumas ações de conscientização com pais e alunos, além da colocação de avisos para que os condutores não estacionem na faixa de pedestre. No entanto, devido ao grande fluxo de carros e ao duplo sentido da rua, nos horários de pico o trânsito fica bastante complicado. 

No mês passado, foi realizado um trabalho com os alunos da Educação Infantil, recebendo o projeto Turminha no Trânsito, do Shopping do Automóvel. Na ocasião, os alunos participaram de atividades lúdicas sobre a importância do respeito às normas de trânsito, recebendo um crachá de "ajudante de motorista habilitado", para disseminarem com as famílias essas informações.

CTTU

O PorAqui consultou a CTTU para saber o que o órgão tem feito na tentativa de amenizar o trânsito na portar das escolas no bairro. A companhia informou que, além das rondas periódicas, mantém constante fiscalização na cidade, através de rondas diárias realizadas por viaturas e motocicletas, o que inclui a área de Setúbal. A região conta ainda com a Operação Bairro Legal, focada em coibir a prática de estacionamento irregular. No total, segundo o órgão, essa operação já registrou cerca de 80 mil notificações, de 2013 a 2016.

A CTTU também citou que, há 14 anos, vem realizando trabalhos educativos nas escolas sobre a importância de respeitar as leis de trânsito e realiza reuniões regulares com os profissionais de transporte escolar com o objetivo de melhorar as condições e a qualidade do serviço. A atual gestão criou 30 novas vagas de embarque/desembarque exclusivas para as vans de transportes escolar do Recife. Apenas uma dessas é em Setúbal, na Rua Belmonte, onde fica a Unidade I do Madre de Deus.

Escola Primeiro Passo e o Colégio Grande Passo

Quanto à Rua Professor Aurélio de Castro Cavalcanti, a CTTU informou que já enviou uma equipe técnica ao local com o intuito de realizar os estudos destinados às possíveis mudanças de circulação no local, o que, no momento, não é tecnicamente viável, segundo o órgão.

"Os resultados revelaram que não há necessidade de proibição de estacionamento, uma vez que trata-se de uma via com uma largura confortável para o volume de veículos que recebe. Os estudos também demonstraram que os transtornos causados ao tráfego são produzidos pelo fluxo da escola, nos horários de saída e chegada dos alunos, e que, no restante do tempo, o trânsito flui com tranquilidade na área."

Quer sugerir pautas em Setúbal? Envie um e-mail para poraqui@jc.com.br.

LEIA TAMBÉM

Entorno de escolas em Setúbal é cenário frequente de infrações de trânsito

Multas estão mais caras. Veja o quanto pesam no bolso (e na mobilidade)