Do JCOnline

Do projeto da Linha Verde idealizado em 2000 pelo então prefeito do Recife, Roberto Magalhães, até a liberação do tráfego nos 4,3 quilômetros da pista leste da Via Mangue, que acontecerá em poucos minutos, muita coisa se passou. Mais precisamente, quatro gestões municipais (duas de João Paulo e uma de João da Costa, ambos do PT, e a de Geraldo Julio, do PSB), vários redesenhos do projeto, uma ordem de serviço assinada em 2011, e a liberação da pista oeste, em 2014.

A obra custou R$ 431 milhões, sendo R$ 412 milhões da prefeitura e R$ 19 milhões do governo federal, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Dos R$ 412 milhões municipais, sendo R$ 81 milhões foram originados de recursos próprios e R$ 331 milhões através de financiamento.

A cerimônia de inauguração da pista leste aconteceu nesta quinta (21) e contou com a presença da presidente da República, Dilma Rousseff. A liberação para o fluxo de veículos teve que aguardar a retirada da estrutura montada para a solenidade de inauguração.

A exemplo do que ocorreu em junho de 2014, quando veio ao Recife para a cerimônia de inauguração do primeiro trecho da Via Mangue, Dilma veio carimbar a participação do governo federal na obra.

Serão nove acessos para os condutores que desejam utilizar a pista leste. As quatro entradas ficam localizadas nas Ruas Tomé Gibson, Tenente João Cícero, Antônio Falcão, além da Avenida Dom João VI.

As saídas, pelas Ruas Tomé Gibson (mão dupla), Maria Carolina, Padre Bernardino Pessoa, Professor Eduardo Wanderley Filho (mão dupla até a Rua Aviador Severiano Lins) e Henrique Capitulino.

O binário entre as Ruas Nogueira de Souza e Arquiteto Augusto Reinaldo começou a funcionar às 8h desta quinta (21). Com isso, o Túnel Josué de Castro já passa a operar em sentido único. Na área do binário, serão colocados quatro novos semáforos: no cruzamento da Avenida Herculano Bandeira com a Rua Augusto Souza Reinaldo, e nos cruzamentos da Rua Nogueira de Souza com as Avenidas Herculano Bandeira, Antônio de Goes e República Árabe Unida. Todos os equipamentos também entraram em operação às 8h desta quinta (21).

A presidente da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), Taciana Ferreira, explica que, tão logo o tráfego na pista leste seja liberado, haverá pontos de monitoramento, com agentes de trânsito e orientadores, em todos os acessos.

“Também colocaremos pontos de orientação em trechos fora da Via Mangue, como o cruzamento da Avenida Domingos Ferreira com a Rua Tenente João Cícero, além da Avenida Boa Viagem”. Ainda de acordo com Taciana, será realizado um trabalho de comunicação para que os condutores saibam como vão funcionar as mudanças no trânsito da região.

Na manhã desta quarta (20), a reportagem do Jornal do Commercio percorreu os 4,3 quilômetros da pista, para checar o que os motoristas vão encontrar a partir de agora. Alguns gradis de proteção foram retirados e boa parte do corredor já apresenta pichações. Mas a rodagem não deve ser problema, pois o estado da pista é satisfatório.

Aos apressados, um alerta: o limite de velocidade é de 60 quilômetros por hora e há seis câmeras de monitoramento. Durante toda a manhã, ciclistas já circulavam livremente pelos quatro quilômetros de ciclovia da pista leste. Os acessos aos carros, no entanto, continuavam fechados por blocos de concreto.