Cansados de passar os dias entre poeira no verão e lama no inverno, moradores das ruas Emiliano Braga e Zezito Costa Rego, na Várzea, Zona Oeste do Recife, decidiram protestar contra o descaso. Com inúmeras faixas afixadas em muros e fachadas, cobram da Prefeitura do Recife (PCR) a pavimentação dos trechos.

“No inverno, sofremos com muitos buracos, regiões alagadas, tráfego difícil, água parada e proliferações de insetos. No verão, a poeira é intensa, provocando até doenças respiratórias”, explica Érika Travassos, moradora da região. “Já entramos diversas vezes em contato com os órgãos competentes, mas nada foi feito”.

Leia também:

Eu ❤ Várzea: amigas criam marca para espalhar o amor pelo bairro onde vivem

Praça da Várzea: um (quase) projeto do paisagista Burle Marx

Segundo os moradores, as duas ruas constam como calçadas nos registros da PCR, mas nunca foram pavimentadas. “Em 2013, durante a entrega de outra obra, o prefeito Geraldo Júlio prometeu calçar a Zezito Costa Rêgo, mas, até agora, cinco anos depois, nada foi feito”, lamenta Érika.

(Foto: Giselli Carvalho)

Além das residências, a Rua Zezito Costa Rêgo abriga um dos lados do pronto atendimento do hospital Hapvida, além do Colégio Conhecer, que convive com a situação da rua desde 1981. Já a Rua Emiliano Braga conduz ao retorno que dá acesso ao município de Camaragibe, mas não é utilizada devido aos buracos. O retorno tem fluxo intenso de veículos e vive constantemente engarrafado.

A tendência é piorar

Próximo às duas ruas, a obra do Terminal Integrado da IV Perimetral Severino Luiz Nunes Pereira, que faz parte das obras do Corredor Leste-Oeste, está em fase de finalização. O terminal de passageiros está em obras há seis anos e deveria ter sido entregue na Copa do Mundo de 2014.

(Foto: Giselli Carvalho)

Com a inauguração do terminal, a tendência do trânsito da área é piorar, o que preocupa ainda mais os moradores.

“Decidimos fazer o protesto por conta da proximidade do funcionamento do terminal, que deve piorar bastante o trânsito no bairro, que já está caótico por causa de intervenções da CTTU. São ruas que podem ajudar no escoamento”, explica Érika.

(Foto: Giselli Carvalho)

Por conta do terminal, um trecho da Rua Emiliano Braga que fica na lateral da estação será calçado, mas o benefício não será estendido a toda a via. “A gota d’água foi saber que não só a Zezito não seria calçada, mas só uma parte da Emiliano seria. Ou seja, continuaremos no caos”.

(Foto: Giselli Carvalho)

Notícias pouco animadoras

Para melhorar a mobilidade da área em horários de pico e a qualidade de vida do entorno, os moradores estão exigindo o calçamento completo das duas ruas, mas a princípio o retorno dado pelo órgão competente não foi dos mais animadores.

(Foto: Giselli Carvalho)

Contatada pelo PorAqui, a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) reafirmou que os trechos não serão calçados num futuro próximo, pois por enquanto não há ainda um projeto pronto nem recursos a serem direcionados para a obra.

Também questionamos se as ruas constam como calçadas no cadastro da Prefeitura do Recife e o motivo pelo qual a promessa do prefeito Geraldo Júlio, feita há cinco anos, não foi cumprida, mas o órgão não respondeu a estas perguntas.

Confira a nota na íntegra:

“A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) esclarece que, em parceria com o Governo do Estado, irá realizar a pavimentação do entorno do Terminal Integrado de Ônibus da 4ª perimetral do bairro da Várzea, beneficiando trechos das ruas Professor Antônio Coelho e Emiliano Braga. As intervenções serão em placa de concreto e asfalto e servirão para a melhoria da base das vias, objetivando garantir estabilidade estrutural das ruas onde haverá o tráfego de transporte coletivo. O convênio com o Governo do Estado prevê o repasse de verbas para a execução desse serviço.

Sobre a pavimentação do trecho restante da Rua Emiliano Braga e da Rua Zezito Costa Rêgo, a Emlurb informa que está elaborando o projeto para as vias e posterior captação de recursos para as obras.”