Entra em cartaz hoje (12), na Galeria Capibaribe, a exposição Clamor – Arte e Transtornos Psíquicos, composta por trabalhos gráficos elaborados por pacientes do Hospital Psiquiátrico Ulysses Pernambucano.

O trabalho partiu da pesquisa em psicologia ‘Intervenção artística e transtorno psíquico: possibilidades de diálogos’, realizado pela professora de artes da Universidade Federal de Pernambuco, Ana Lisboa, e realizado através do projeto de extensão ‘Conexão: Artes e Transtornos Psíquicos’, do Departamento de Teoria da Expressão Artística, com o objetivo de realizar intervenções artísticas no hospital e na UFPE, entre 2014 e 2015.

“O projeto começou com atividades de desenhos sobre papel com lápis de cera, hidrocor, pincel, tinta preta e tema livre. Em seguida começamos a trabalhar nas pedras litográficas, com materiais próprios para a litogravura”, explica Ana Lisboa, coordenadora do projeto.

“Quando havia questionamento dos pacientes, procurávamos atender às solicitações deles, nada podia ser rígido”, explica Lisboa.

Além da exposição dos trabalhos realizados pelos pacientes, no dia 26 de abril , no miniauditório do Centro de Artes e Comunicação (CAC), será realizada uma conversa sobre as experiências arte-educacionais com os pacientes do hospital.

O bate-papo vai contar com Ana Lisboa, Bemvinda Magalhães e Bete Rocha, que eram, respectivamente, a diretora do hospital e a coordenadora do centro de atividades terapêuticas durante a realização do projeto, e Dinara Pessoa, professora aposentada do Departamento de Música da UFPE que atualmente realiza trabalhos de arte-educação com os pacientes do Ulysses Pernambucano.

A exposição Clamor – Arte e Transtornos Psíquicos fica em cartaz até o dia 5 de maio na Galeria Capibaribe, no CAC do Campus Recife, na Cidade Universitária.


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android e iOS

Sugestões e colaborações: varzea@poraqui.news ou (81) 98173-9108 (WhatsApp)